O Inhame dos Açores


Pode ver-se a 2 plantas que foram replantadas, o inhame da esquerda é acabado de tirar da terra e os 2 da direita já "rapados" estão prontos a cozer. © Laura Ribeiro

O Inhame é um tubérculo muito usado cá nos Açores como acompanhamento nas refeições. Vulgarmente conhecido como “coco” (Pico, Faial e S. Jorge) pode comer-se de várias maneiras mas sempre cozinhado.
A sua plantação é feita de 2 em 2 anos, na maioria dos casos, os de ano a ano são mais pequenos. Quando se apanha o inhame, tirando a planta da terra junto com o próprio, corta-se as folhas e a parte velha e torna-se a replantar, ou seja, uma planta de inhame pode-se replantar várias vezes.
Dependendo do tamanho e da zona de onde são plantados o tempo de cozedura pode variar até 2 horas na panela de pressão.
Pode servir de acompanhamento à linguiça, frito na maioria das vezes mas há quem o use também cozido; aos conhecidos “torresmos de carne de porco”  que neste caso tanto pode ser cozido, frito ou até mesmo assado no forno. Na maioria dos casos é acompanhamento de tudo o que provem do porco. Pratos estes que são típicos das ilhas do triângulo.
Os antigos comiam-no com “sopas de leite” (com o pão, leite e inhame) ou mesmo só com leite.

Recentemente, e visto que nas Furnas em S. Miguel é uma região onde predomina a plantação deste tubérculo, e é muito usado no seu famoso "cozido das furnas" um Chef de Cozinha criou as Queijadas de Inhame, como poderá assistir ao vídeo abaixo. 



2 comentários: