Os cagarros regressam aos Açores




O Cagarro ou Pardela-de-bico-amarelo (Calonectris borealis) já se fez notar. O seu canto voltou, recentemente, a ecoar na noite do Corvo. O som inconfundível (que alguns dizem que se assemelha com o coaxar de uma rã ou com o miar de um gato) assinala o regresso às colónias. Ao longo das próximas semanas decorrem os preparativos para a construção do ninho - que normalmente é o do ano anterior.

Terminada esta tarefa, que pode decorrer entre Abril e Maio, verifica-se a formação dos casais. Podem fazê-lo durante trinta anos desde que atingem a vida adulta, aos 7 anos de idade, até aos 40 anos, a longevidade máxima conhecida.

Após a lua-de-mel surge a postura de 1 ovo, normalmente entre maio e Junho. Cerca de 50 dias depois acontece a eclosão do ovo e, a partir daí começam os cuidados parentais com a cria, que se poderão prolongar até princípios do mês de Outubro.

Findo este período, primeiro partem os pais, e a nova e decisiva etapa inicia-se na vida do cagarro juvenil, com a saída do ninho. Esta ave, com cerca de 3 meses de idade, faz a sua primeira grande viagem de centenas de quilómetros pelo oceano, com destino ao hemisfério Sul. Este é o momento que marca o início da Campanha SOS Cagarro.




http://parquesnaturais.azores.gov.pt/pt/feedcorvo/2766-os-cagarros-regressam-aos-acores


Carolina Simas

Sem comentários:

Publicar um comentário