Aldeia da Fonte


Este Hotel fica na zona da Fonte, lugar da Silveiran a zona Sul do Pico e a poucos minutos da vila das Lajes.
Este hotel é constituido por 5 edificios independentes de dois andares , nestes edificios existe um conjunto de suites familiares com kitchenette e aquecimento central. Todos estes edificiossão servidos por uma recepção localizada no edificio principal onde se situam também os restantes serviços do hotel.
Para alé disso o Hotel oferece os seguintes serviços aos seus hóspedes:
  • Um espaço para praticar aeróbica (centro de fitness) e sauna para relaxamento;
  • Uma vez que este Hotel fica localizadao na Vila Baleeira, não poderia faltar uma vigia da baleia;
  • O restaurante Hocus-Pocus onde terá a oportunidade de saborear os diversos paladares regionais, pratos de origens remotas (comida chinesa) ou confecções vegetarianas;
  • O bar Scrimshaw oferece uma atmosfera mais reservada tipo piano bar, possui ainda um,a biblioteca onde poderá escolher uma obra deixando outra em retorno;
  • O Bar da Fonte é uma área de convivio em torno de cocktails e long drinks, oferece também um serviço de snack bar e de restaurante principalmente para os fumadores;
  • O espaço zen é uma zona de meditação e sessões Yoga para alémde actividades de welness;
  • No Kiosque de recordações irá encontrar uma variedade de artefactos e diversas curiosidades (golfinhos, Artesanato local, postais entre outros artigos)
  • Os hóspedes que queiram aceder à Internet através dos computadores do Cyber café terão de solicitar este serviço junto à recepção, para além disso o restaurante Hocus-Pocus, o Bar da Fonte e na espalnada existe serviço de wireless.
Aldeia da Fonte uma boa escolha para as suas férias!



Os Nomes das Ilhas do Arquipélago dos Açores


          Os Açores são um arquipélago que contém nove ilhas magistosas sendo estas batizadas, cada qual com o seu nome. Deste modo, no testamento do Infante D. Henrique (1460), as ilhas do arquipélago foram designadas da seguinte forma, Santa Maria, São Miguel, Ilha de Jesus Cristo, Graciosa, S. Luís, S. Dinis, São Jorge, Santa Iria e S. Tomás.
Tradicionalmente, associa-se os nomes dados de acordo com o calendário litúrgico, isto é, por exemplo, São Miguel teria sido encontrado no dia de São Miguel e assim sucessivamente.
          Outros investigadores ditam que Santa Maria e São Miguel têm esses nomes devido à devoção do Infante D. Henrique e D. Pedro por esses santos, visto que os nomes da maior parte das ilhas estão associados À Ordem de Cristo, da qual o Infante D. Henrique era Mestre. Assim podemos ver que o nome D. Dinis era do rei que constituiu a Ordem de Cristo; Santa Iria era a santa mártir, natural de Tomar, sede da Ordem; S. Tomás seria o santo a quem é dedicada a capela do Convento de Tomar; Jesus Cristo era o próprio nome da Ordem e São Luís o santo de que o Infante D Henrique era também muito devoto.
          Algumas destas ilhas mantiveram os nomes originais, mas outras modificaram, como é o caso da Ilha de Jesus Cristo que passou para Terceira (por ter sido a terceira a ser encontrada), a Ilha de S. Luís conhecida actualmente por Faial; a ilha de S. Dinis por Pico (devido à elevação ao centro que constitui o ponto mais alto de Portugal). Santa Iria dá lugar a Flores e S. Tomás passa a Corvo.

Curiosidades:

          A cada ilha dos Açores, o povo açoreano atribuiu uma cor, distinguindo-as deste modo: Santa Maria - Ilha Amarela (pelas giestas), São Miguel - Ilha Verde (pelos prados e matas), Terceira - Ilha Lilás (pelas latadas de glicínias ou lilases), Graciosa - Ilha Branca (pelas suas rochas claras), São Jorge - Ilha Vermelha (pela flor de café que lá se chegou a cultivar), Pico - Ilha Preta (pela rocha vulcânica), Faial - Ilha Azul (pelos "novelos" de hortênsias azuis), Flores - Ilha Rosa (pelas azáleas) e Corvo - Ilha Castanha (pelas vacas corvinias).

Açores, um arquipélago de Emoções!

Foto: Postal à venda no Quiosque de Turismo da Madalena do Pico

Canecas Reutilizáveis à venda no Quiosque de Turismo da Praia da Vitória


Campanha de sensibilização da Praia Ambiente durante as Festas da Praia 2011.
Durante as Festas da Praia 2012, que decorrem de 03 a 11 de Agosto, a empresa municipal Praia Ambiente organiza a campanha “Tou Recicladíssimo” de venda de canecas reutilizáveis, com o intuito de sensibilizar a população para a poupança de recursos e para o excesso da produção de lixo, nomeadamente em momentos festivos.


A campanha consistirá na venda de uma caneca de plástico reutilizável, a ser utilizada durante as festas, e poderá ser adquirida em postos de venda identificados. Cada caneca custa um euro.

As canecas de plástico estão disponíveis para venda no secretariado das Festas, no Quiosque de Turismo da Associação Regional de Turismo e nos estabelecimentos de venda instalados nas Festas que ostentem o autocolante “Encha Aqui a Sua Caneca”.

A Praia Ambiente, empresa municipal responsável pela recolha, gestão de resíduos e pelo abastecimento de água do concelho, tem como objectivo mover as pessoas contra os problemas ambientais causados pelo abandono de recipientes de plástico durante as festas. Nos últimos anos, a empresa tem também promovido a reciclagem do plástico gerado pelas festas, distribuindo mini ecopontos por todas as zonas das festividades.


Apartir de hoje e até ao final das festas, dia  12 de Agosto, o Quiosque de Turismo da Praia da Vitória tem à venda as canecas reutilizáveis.

Ajude-nos a Ajudar o Ambiente!!


Fonte: A União

Espólio de Francisco Lacerda acessível na Internet




 O portal “Cultura Açores”, da Direção Regional da Cultura, passou a disponibilizar, a partir do dia 23 de Julho de 2012, um novo conteúdo no Centro de Conhecimento dos Açores, designado: “Espólio Francisco de Lacerda”.
Este conteúdo divulga o acervo de Francisco de Lacerda existente no Museu de Angra do Heroísmo, que contém inúmeras peças e documentação com uma grande riqueza de informação e permite ter um conhecimento mais aprofundado da realidade social da época em que viveu Francisco de Lacerda.
O espólio de Francisco de Lacerda integra documentação muito variada, sendo constituído por composições originais, correspondência, canções populares, cartazes e panfletos, fotografias, condecorações, entre muitas outras peças.
Francisco de Lacerda nasceu em S. Jorge, na freguesia da Ribeira Seca, no dia 11 de Maio de 1869. Este açoriano de grande relevo deixou uma vasta obra e evidenciou-se na vida cultural portuguesa e estrangeira. Compositor e chefe de orquestra, exerceu a sua atividade sobretudo em França e na Suíça, mas também em Portugal e, por alguns períodos, nos Açores.
Fruto da sua sólida formação académica e do meio cultural em que prosperou profissionalmente, a obra de Lacerda é marcada por um cunho pessoal e original que o torna num precursor da introdução do impressionismo em Portugal e num símbolo do nacionalismo musical europeu dos finais do século XIX e princípios do século XX.
A divulgação on-line deste espólio, no endereço  http://www.culturacores.azores.gov.pt/lacerda/  permite o acesso do público a um vasto manancial de informação e facilita o conhecimento, o estudo e a divulgação deste eminente açoriano.
O conteúdo divide-se em três partes: “Projeto”; “Vida e Obra” e “Espólio”.

Fontes:



Viola Regional


Povo que dança e canta com natural espontaneidade, o açoriano quis adornar estas expressões de sã alegria com sonoridades próprias e únicas.
Para tal, acrescentou aos instrumentos de corda habitualmente tocados a celebrada viola de arame, que criou por transformação da viola continental.
Na sua construção empregam-se madeiras diversas – cedro, pau-preto, acácia e pinho branco ou casquinha – cada uma contribuindo para criar o som próprio deste instrumento.
Sobre o tampo, decorado com marfim, osso ou madeiras preciosas, onde se abrem dois corações, escorrem as 15 cordas características desta viola.
Evidenciando uma apurada técnica de construção, glorificam o trabalho dos artesãos que as criam.



Fonte: Livro Artesanato dos Açores, Secretaria Regional da Economia

Programa no Faial - Pegada Activa







Este programa, da empresa de animação turística Pegada Activa, é de um dia passado em aventura na ilha do Faial.

 Neste programa está contemplada uma saída de barco para observação de cetáceos, visita à reserva natural da Caldeira, visita ao Centro Interpretativo do Vulcão dos Capelinhos, e refeição em restaurante (opcional).

A Pegada Activa garante o transporte, refeição (opcional), seguros, interpretação e apoio logístico ao longo de todo o programa.

Planificação:

08h00 - Ponto de Encontro , em local a acordar com o (s) cliente (s). A Pegada Activa pode realizar pick up's no aeroporto, hotéis e similares; 
08h30 - Saída de barco para observação de cetáceos;
13h00 - Refeição em restaurante (opcional);
14h30 - Visita à Reserva Natural da Caldeira; Centro Interpretativo do Vulcão dos Capelinhos
18h30 - Regresso ao Ponto de Encontro| Desactivação do Programa

O programa pode sofrer alterações devido a mudanças climatéricas e a outros factores alheios à empresa.

Grupo Mínimo: 4 pessoas

Pegada Activa - Turismo e Desporto na Natureza Unipessoal, Lda.
Tel.: 916 004 554
E-mail: info@pegadaactiva.com
Webpage: www.pegadaactiva.com

Fonte da imagem:http://www.reise-weitweg.de/azoren/faial.htm

Dia Nacional da Conservação da Natureza

O Dia Nacional da Conservação da Natureza celebra-se a 28 de Julho e na lista das principais preocupações das associações ambientalistas ressalta a elaboração da Estratégia Nacional de Conservação da Natureza e da Biodiversidade, prevista desde 1987 na Lei de Bases do Ambiente.
Outra das medidas importantes a implementar é a elaboração dos planos de gestão das áreas incluídas na Rede Natura 2000 e os planos de ordenamento das zonas protegidas.
Uma outra questão fundamental será a futura articulação da conservação da natureza com outras políticas sectoriais, devendo a conservação da natureza de ser promovida a par das actividades económicas, sociais e culturais.
A execução das políticas de conservação da natureza em Portugal compete fundamentalmente ao Instituto da Conservação da Natureza (ICN), o qual é tutelado pela Secretaria de Estado da Conservação da Natureza e Ordenamento do Território, do Ministério do Ambiente. Assim, também os problemas relativos a uma maior operacionalidade no sector da Conservação da Natureza passam pela saída do novo quadro orgânico do Instituto de Conservação da Natureza.
Finalmente, outra das questões abordadas concentra-se na necessidade da UE reconhecer a urgência de um alargamento de fundos para a conservação da natureza em países como Portugal, assumindo a gestão de uma herança e um património comuns, de modo que nestas regiões se implementem modelos e práticas de desenvolvimento sustentável.



Desvendar São Jorge- Geosítios: Cordilheira Vulcânica Central


São Jorge é uma ilha caracterizada pelo seu alongamento na sua extensão, com 54 quilómetros de comprimento e 6,9 quilómetros de largura máxima, São Jorge apresenta-se como uma longa cordilheira vulcânica alongada de noroeste para sudeste.




A cordilheira existe justificada pelas enumeras erupções basálticas ao longo de alinhamentos tectónicos de orientação supramencionado. Actualmente este vulcanismo fissural está bem patente na cordilheira vulcânica central expresso em alinhamentos vulcano-tectónicos de 280 centros monogenéticos, como cones de escória e de salpicos de lava (spatter) e fissuras eruptivas.

Fonte de Texto/Imagem: Geoparque dos Açores

Caracol Summer Splash - Especial Residentes dos Açores

O Hotel do Caracol tem para si entre 27 de Julho e 2 de Agosto de 2012, diversas ofertas, tais como:
  • Alojamento: 50% desconto sobre valor de balcão;
  • Livre acesso às áreas de lazer: ginásio, jacuzzi, sauna, banho turco, piscina interior aquecida e piscinas exteriores;
  • 10% desconto no Centro de Mergulho Anfíbius;
  • 30% desconto no Wellness Center;

Condições:
Para usufruir das condições especiais deverá  ser apresentado o  comprovativo de Residência nos Açores.
Para mais informações, contactar: 295 402 600 ou dep.comercial@hoteldocaracol.com.


Photo by Sandra Brown


Festival Azure 2012


O Festival Azure 2012 realiza-se a 30, 31 de Agosto e 1 de Setembro na Zona de Lazer de S. Brás, comemorando o seu 6º aniversário.

Incitando à prática do campismo (que será no interior do recinto), contacto privilegiado com a natureza, boas práticas ambientais, desenvolvimento da cultura local e reutilização de materiais – cavalo de batalha da organização – são variadas as actividades lúdicas e de lazer, assim como workshops, que acontecerão durante três dias no recinto Azure: música, reciclagem, cozinha vegetariana, parkour, pinturas urbanas, workshops e animação diversa.


Seguindo a linha orientadora adoptada em edições anteriores,  a organização preocupou-se na aposta em artistas do mercado emergente nacional, mas também em nomes mais consagrados, unificando assim tanto o meio mais alternativo como o mais comercial, o que resulta num evento com uma oferta quase única na região e diferenciada das demais.

Pelo palco principal, after-hours e zona Chill Out – Soundivision do recinto Azure passarão os Amor Electro, o cabo-verdiano Dany Silva, o Dj Germânico Lopazz, os californianos Skywalker1nine, Beatbombers, Miguel Rendeiro, Fitacola, Dj Ride, Dj Raquel Ganeisha e Noleaf que vão partilhar palco e experiências com os artistas regionais, entre os quais os picoenses Nova Dinastia, os micaelenses Ishan e Sargento Zundapp e os terceirenses The Doit, Art Capital, Doubletronic, Trashers, Da Magnet, Souza, Konesec, Psytoon e Lino. Pela primeira vez no Azure estarão em palco artistas representando 4 países diferentes: Portugal, Estados Unidos, Alemanha e Cabo-Verde.


Os bilhetes estarão à venda em todos os postos de atendimento RIAC (todas as ilhas dos Açores e Lisboa). Portadores do Interjovem têm desconto de 30% nos ingressos de 3 dias. Terá sempre que apresentar o cartão Interjovem e identificação. Até ao dia 31 de Julho os ingressos estarão com um desconto entre 5% e 10%. Todos os moradores na freguesia de S. Brás terão desconto de 50% e poderão adquirir o ingresso na Junta de Freguesia. Os ingressos diários estarão somente à venda no próprio dia na bilheteira do evento.


Para mais informações pode aceder ao site ou facebook do evento. 

Fonte:

Cais das Poças 2012


Dia 3 de Agosto18h30 - Aula de Zumba e Combat com Viva Mais Fitness
21h30 - Atuação do grupo local "Pop Stars"
22h15 - Atuação dos Quick Drop
23h30 - Ronda da Madrugada
02h00 - Rave

Dia 4 de Agosto
06h00 - Inicio do VII Concurso de Pesca Desportiva Embarcada
15h00 - Chegada dos participantes do Concurso de Pesca e pesagem do pescado e classificação dos participantes
*Entrega dos prémios do VII Concurso de Pesca Desportiva Embarcada
18h30 - Aula de Pump e Cycling com Viva Mais Fitness
22h00 - Atuação dos K7 Pirata
23h30 - Atuação do artista João Pedro Pais
02h00 - Rave

Dia 5 de Agosto
14h00 - Actividades e Jogos Náuticos com "Mareocidental"
18h00 - Caldo de Peixe
20h00 - Atuação do Grupo Folclórico da Casa do Povo de Ponta Delgada
22h00 - Atuação Full 'K'Ords
01h30 - Rave

Notas:
- Animação de Rua com Bora Lá Tocar;
- As actividades náuticas realizam-se no Porto das Poças;
- As Inscrições e Regulamento do VII Concurso de Pesca Desportiva Embarcada estarão disponíveis na Cãmara Municipal de Santa Cruz das Flores;
- No recinto da festa haverá as tradicionais tascas e restaurantes.

Programa Sujeito a alterações

Passeio ao Cais de Agosto - Pico


A empresa de animação turística Ocean Emotion está a organizar um passeio até ao cais do Pico, entre os dias 27 a 29 de julho.
A partida será no dia 27 de julho às 18h30 e o regresso no dia 29 às 18h00.

Para reservar o seu lugar pode contactar: 962 973 736 / 967 806 964  

Outeiro da Memória


Outeiro da Memória @Sara Luís

O local onde está inserido um dos mais belos monumentos da cidade Património Mundial - Angra do Heroísmo- foi, por volta de 1474, a primeira fortificação com o nome de Castelo de São Luís ou Castelo dos Moinhos, devido à existência de muitos moinhos ao longo do caminho por onde o castelo estava inserido. Devido aos povoadores da cidade serem, maioritariamente, de Portugal Continental, acharam que o local escolhido para implementar um castelo era perfeito, pois estavam habituados a que em Portugal Continental fossem instalados em altas colinas de modo a impedir que o inimigo penetrasse. Todavia, visto estarem em ilhas, o principal inimigo vinha pelo mar, logo o local onde estava colocado o castelo não era adequado, pois não existiria tempo suficiente para que os soldados impedissem um ataque. Deste modo, a cidade teve que construir outra fortificação de modo a conseguir proteger toda a cidade de Angra do Heroísmo.
Assim, o local histórico no cimo do Jardim Duque da Terceira, foi transformado num enorme monumento em memória a D. Pedro IV, pois este ilustre liberalista teve sempre Angra do Heroísmo como sua apoiante nas Guerras Liberais e consequentemente na Guerra Civil Portuguesa. Por volta de 1856, este belo monumento estava construído, e diz o povo angrense que as pedras do antigo castelo serviram para a construção desse belo monumento que ficou conhecido como “Alto da Memória”. Todavia, devido ao terramoto de 1980, que destruiu grande parte da cidade e de muitas outras ilhas dos Açores, este notável monumento também foi praticamente destruído, só vindo a ser construído de novo em 1985, por ordem da Câmara Municipal de Angra do Heroísmo.

Outeiro da Memória @Sara Luís
 Sara Luís

Finalmente "Cais Agosto"!


O teu Festival de Verão chegou!
De hoje (25) a 29 de Julho é o "Cais Agosto", são 5 dias de festa com atividades desportivas, muita musica, bons petiscos e muita animação!
Para mais informações consulte o site oficial http://www.caisagosto.net/# onde tem disponivel o programa completo da festa.

Fonte: http://www.municipiosrp.pt/Default.aspx?Module=Noticia&ID=573

Passeio no parque - Horários do Parque Natural da Graciosa

O Parque Natural da Graciosa tem evidenciado uma grande potencialidade como impulsor de promoção de destino Graciosa. As áreas ambientalmente protegidas encontram se classificadas segundo quatro categorias da IUCN (União Internacional para a Conservação da Natureza). Áreas estas que permitem ao visitante descobrir a biodiversidade e geodiversidade oferecida por um património natural único.
O Centro de Visitantes da Furna do Enxofre, localizado no Monumento Natural da Caldeira é o Núcleo da Reserva da Biosfera e a porta de entrada para uma imponente caverna lávica caraterizada por ter um teto em forma de abóbada perfeita, a maior da Europa, revestida por pequenas estalactites lávicas e na zona mais profunda, uma lagoa com cerca de 11 metros de profundidade. Esta caverna apresenta um campo fumarólico constituído por uma fumarola com água lamacenta e por emanações gasosas secas no chão da gruta.
O trilho do Perímetro da Caldeira tem início na canada das Furnas (estrada de acesso à Caldeira e Furna do Enxofre), onde o visitante sobe até ao túnel de acesso ao interior da Caldeira, observando uma zona florestal. Continua o seu percurso pela estrada até ao Centro de Visitantes da Furna do Enxofre, onde obterá diversas informações sobre a ilha, a Caldeira e concretamente a Furna do Enxofre.
Percorrendo o caminho de regresso passando pelo túnel e seguindo pelo trilho, o visitante, poderá visitar 3 túneis lávicos, a Furna do Abel (visitar de preferência quando o Sol se encontra no lado poente, pois permite a iluminação do interior da gruta), a Furna d´Água e a Furna da Maria Encantada. Nesta última subindo uma escadaria em madeira que lhe dá acesso e já no seu interior terá uma vista panorâmica sobre o interior da Caldeira. 
Seguindo para nordeste pela estrada de terra batida que circunda a Caldeira poderá ver a Vila da Praia, à esquerda num primeiro plano o monte de Nossa Sr.ª da Saúde (cones de tufos surtseianos) e em segundo plano a Serra das Fontes. À direita surge o ilhéu da Praia, santuário para a nidificação de aves marinhas. Continuando o percurso e já na vertente sul da Caldeira, surge o farol do Carapacho e o ilhéu de Baixo. Em dias de boa visibilidade poderá avistar a sudeste a ilha Terceira, a sul em toda a sua extensão a ilha de São Jorge, a sudoeste a ilha do Pico e a ilha do Faial.
Na Reserva Natural do ilhéu da Praia poderá encontrar a mais importante colónia de aves marinhas dos Açores, das quais se destacam o cagarro (Calonectris diomedea borealis), o garajau-rosado (Sterna dougallii), o garajau-comum (Sterna hirundo), o frulho (Puffinus baroli baroli) e o painho-da-Madeira (Oceanodroma castro), entre outras espécies protegidas internacionalmente que ocorrem e nidificam ocasionalmente. Aqui nasce o painho-de-Monteiro (Oceanodroma monteiroi) ave marinha e endémica dos ilhéus da Graciosa. O ilhéu possui também um significativo prado costeiro de vidália (Azorina vidalii), única espécie do género monoespecífico Azorina no Mundo. Esta pequena ilhota de origem basáltica dispõe de uma Casa de Apoio que serve os muitos investigadores que aportam ao mesmo ilhéu para estudar as variadas espécies de aves marinhas que no mesmo nidificam. 
Está disponível o Guia do Parque Natural da Graciosa, onde se poderá encontrar muita informação de interesse. O Centro de Visitantes da Furna do Enxofre e pessoal do Parque Natural estão devidamente equipados e preparados para o acolhimento e informação aos visitantes. Não hesite em os contactar para qualquer questão.

Horários até 15 de Setembro
Centro de Visitantes da Furna do Enxofre: segunda a domingo das 10h00 às 18h00
Visitas Guiadas: 11h30 | 15h00 | 16h30 (Realizam se de acordo com os critérios de segurança)
Reserva Natural do ilhéu da Praia: o visitante terá de pedir uma autorização prévia, e só poderá realizar a visita acompanhado com pessoal do PNG.


Museu da Agricultura inaugurado na Ilha Terceira


O Museu da Agricultura da Ilha Terceira foi inaugurado dia 20 de Julho (Sexta-Feira) com uma exposição temática sobre o maneio da terra, onde é possível encontrar alfaias agrícolas utilizadas pelos lavradores terceirenses no passado.

O presidente da Associação Agrícola da Ilha Terceira (AAIT), Paulo Simões Ferreira, acredita que o museu terá procura, até porque os turistas já pediam um espaço do género.

"Durante o período de verão penso que vamos ter muitos visitantes", frisou, acrescentando que alguns turistas, "mesmo sem haver nada, já perguntavam como é que se vivia nos Açores há 300, 400, 500 anos atrás".

O primeiro piso tem como tema o ‘maneio da terra’ e nesse sentido estão expostas "todas as alfaias, que possibilitavam antigamente preparar as terras para os cultivos". No rés do chão podem ser vistos os transportes utilizados na época, ou seja, diferentes tipos de "carros de bois".

A AAIT prepara agora um roteiro pela ilha, em que o turista possa conhecer espaços onde antigamente se desenvolviam alguns trabalhos agrícolas, como "vinhas, poços de captação de água e eiras".

"O museu é um ponto de partida ou de chegada de uma visita que engloba a ilha Terceira", salientou Paulo Simões Ferreira, acrescentando que a associação agrícola está neste momento a inventariar espaços de interesse para criar um panfleto que será posteriormente distribuído em hotéis e pontos de informação turística.

Situado nos Altares, uma das freguesias mais rurais do concelho de Angra do Heroísmo, o museu foi instalado num edifício em ruínas onde antes se fazia a semente da batata cedido pela Secretaria regional da Agricultura e Florestas.

Junto ao espaço, foi aproveitado um outro edifício utilizado anteriormente como moradia do guarda-florestal responsável por aquela zona e que agora será transformado num restaurante, cujas receitas servirão para assegurar a presença de um funcionário no museu durante todo o ano.

O investimento da AAIT na recuperação das infraestruturas e em equipamentos foi superior a 200 mil euros, com uma comparticipação de fundos comunitários no valor de 75 mil euros.

Durante o verão o museu estará aberto entre as 10:00 e as 18:00, tendo um horário menos alargado no inverno, enquanto o restaurante funcionará mediante marcações, apresentando pratos com produtos regionais, como a carne de vaca açoriana, os frutos da época ou a doçaria típica da ilha.

Vida marinha dos Açores em exposição

                                     


Está patente, em Lisboa, a exposição Oásis, que reúne 34 imagens do fotógrafo de natureza Nuno Sá, todas colhidas nas águas dos Açores. 

O projeto tem como objetivo chamar a atenção para a riqueza da vida marinha no arquipélago, recorrendo a "imagens de grande impacto visual".


A primeira parte desta mostra - que contará com apresentações também no Faial ou em São Miguel - está patente no espaço exterior do Oceanário de Lisboa, mas quem não quiser deslocar-se ao local pode ver algumas das imagens online, no site iniciativa.

Fontes:

Viagem, barco de recreio...

Hoje dou-vos a conhecer mais uma pequena amostra daquilo que temos nos Açores... Trata-se de uma pequena, pequena (mas deslumbrante!) pois ainda dava para ver muito, muito mais!
Aqui, poderemos apreciar algumas das lindas paisagens da costa sul da ilha de São Jorge, numa viagem de barco de recreio entre o porto do Topo e o porto da Calheta!... Nesta viagem ainda houve direito a acompanhantes... Ora veja e delicie-se!







Fonte:
Francisca Oliveira Leonardes
Jorge Oliveira