Ronda da Madrugada - "Modus Operandi"


Os Ronda da Madrugada são uma banda da ilha de Santa Maria que, desde 1998, está bem presente no panorama musical da Região. O Grupo apresenta uma fusão cultural entre a componente festiva das ilhas e entre o folk e o rock, resultando numa sonoridade singular que abaixo vos deixamos…

 

Taste in Faial e Pico


Taste in Pico e Taste in Faial -  tem como objetivo promover nos restaurantes aderentes uma nova dinâmica gastronómica que cative o público para novos conceitos e para a importância da valorização dos produtos regionais numa cozinha contemporânea e da importância da harmonização dos vinhos locais e dos pratos apresentados no menu proposto.

Ilha do Pico de 2 a 18 de Maio
Ilha do Faial de 9 a 25 de Maio

Restaurantes aderentes Ilha do Pico: O Ancoradouro; Dark; Lagoa; Parisiana; Petisca; Rochedo

Restaurantes Aderentes Ilha do Faial: Alagoa Beach; Capitólio; Petiscaki; Kabem Todos; Vitor dos Leitões



Fonte: ADELIAÇOR

Andreia Goulart

Chamarrita do Pico

A Chamarrita é um dos mais antigos bailes tradicionais dos Açores. 
É um baile de roda, mandado por um elemento e acompanhado por vezes por cantadores, e sempre por tocadores, reunindo espontaneamente a população, em festas populares e encontros ocasionais.
Antigamente, a Chamarrita reinava nos momentos de convívio, depois de um dia de trabalho nos campos, no entanto, este baile mandado continua a ter um papel fundamental, sendo considerada “a Rainha dos bailes de roda”.
Chamarrita, um elemento cultural ícone do povo açoriano.
E como na Chamarrita do Pico se termina…e fazendo neste contexto todo o sentido…
Olh’ó Pico! Olh’ó Pico!


Fonte: http://www.youtube.com/watch?v=A-3x3DgyE7c

Programa da Semana do Mar 2014




A Semana do Mar é um investimento reprodutivo para o Faial e para os Açores, disse hoje o presidente da Câmara Municipal da Horta no anúncio do programa da edição de 2014

A vereação liderada por José Leonardo tem apostado numa antecipação da divulgação dos maiores festejos da ilha do Faial e dos maiores dos Açores.

O trabalho de casa na preparação da Semana do Mar 2014 começou ainda em 2013, não obstante ser ano de eleições locais, que implicam sempre um compasso de espera na gestão autárquica. No primeiro trimestre de 2014 foi feita promoção da festa junto dos emigrantes, nos Estados Unidos da América e agora, ainda em abril, o programa é anunciado.

A conferência de imprensa de apresentação realizou-se pelas 15 horas a bordo da corveta da armada nacional Baptista de Andrade e o anfitrião foi Pires da Cunha, comandante da Zona Marítima dos Açores.

O presidente da Câmara Municipal da Horta, perante os representantes de diversos organismos oficiais, destacou a importância do festival náutico e das suas duas dezenas de modalidades, fazendo uma menção especial ao Clube Naval da Horta e aos seus "muitos voluntários" que colaboram na iniciativa.

José Leonardo anunciou para a sexta-feira que antecede o domingo de abertura oficial da Semana do Mar um concerto com uma banda local "de garagem" que será escolhida num concurso a organizar num festival de juventude.

O presidente da comissão organizadora disse também que as estruturas dos quiosques estão a ser reabilitadas pelos utentes da APADIF (Associção de Pais e Amigos dos Deficientes da Ilha do Faial) e do CAO (Centro de Atividade Ocupacionais da Santa Casa da Misericórdia da Horta) e por alunos das escolas e ainda pelos reclusos da cadeia da Horta.

Texto Adaptado. 
Veja a informação completa em http://www.faialdigital.com/pt/index.php/reportagem/sociedade/760-programa-da-semana-do-mar-2014.



Fontes: http://www.faialdigital.com/pt/index.php/reportagem/sociedade/760-programa-da-semana-do-mar-2014

Maias de trazer ao peito

São bonecas de palha coroadas de flores em que a forma feminina aparece como uma personificação de robustez e da fertilidade da natureza. Estas bonecas são conhecidas como maias.
Recordando a Antiguidade Clássica, a Primavera celebra-se assumindo variadas formas por toda a Europa, convergindo nos conhecidos malos que, entre nós, significam e simbolizam com pontualidade a chegada do mês com este nome.
Desta forma, o Museu pretende evocar esta tão bonita tradição antiga e preparar-se para a chegada do malo, aprendendo assim a confecionar estas pequenas bonecas de pano, malas para trazer ao peito.
O público-alvo são as crianças a partir dos 7 anos, os jovens e os adultos.
A inscrição tem um custo de 10 euros e a formadora desta atividade será Alzira Mendes. As inscrições decorrerão até às 14h00 do dia 2 de maio, podendo ainda ser feitas através do telefone 295 240 800 ou do e-mail: museu.angra.agenda@azores.gov.pt







Fonte: museu-angra.azores.gov.pt
http://museu-angra.azores.gov.pt/museu-educativo/2014/23-Maias/programa.jpg

CFA inaugura exposição de pintura em tela


O Centro Artístico da Madalena (CFA) inaugura esta tarde a exposição de pintura “Sobre Tela”.
A mostra reúne cerca de 30 quadros e vai estar patente ao público nos Paços do concelho até 18 de maio.Os quadros foram pintados pelos 11 alunos da disciplina de pintura e a mostra pode ser visitada no horário regular de funcionamento da autarquia.
Joana Leal/RP


Fonte:http://www.radiopico.com/?n=noticias&menu=noticias&id_noticia=15506

Ginja, Ginjeira brava


A Gingeira Brava (Prumus Azorica), é uma espécie endémica dos Açores, atualmente pode ser vista nas ilhas de São Miguel, Terceira, São Jorge, Pico e Faial.
Prumus Azorica é uma árvore de folhas ovado–elípticas de margem ondulada, verde-escuro e glabras; 20 a 30 flores em cachos.
É uma das 10 mais raras espécies endémicas dos Açores. Aparece sempre acima dos 500m, de preferência em ribeiras estreitas e profundas e mais raramente dispersas em povoamentos densos de floresta nativa de encostas.






Poço da Pedreira - Santa Maria

O Poço da Pedreira fica em Santa Bárbara, é um dos pontos de passagem do trilho pedestre PRC3SMA – Entre a serra e o mar (visite o site http://trilhos.visitazores.com/pt-pt/trilhos-dos-acores/santa-maria/entre-serra-e-o-mar para mais informação acerca deste trilho).

É um dos geossítios dos Açores a visitar na Ilha de Santa Maria. É uma antiga pedreira, onde foram exploradas escórias basálticas muito antigas e alteradas. Dada a sua idade e alteração, os piroclastos estão consolidados e de cor vermelha, o que explica as encostas íngremes da frente da pedreira e o nome do cone de escórias – Pico Vermelho


Daqui se retirava pedra de “cantaria”, para a construção das casas tradicionais em tempos idos, principalmente para a freguesia de Santa Bárbara, mas não só. A frente de exploração apresenta paredes verticais e geométricas e, na sua base, formou-se um lago.

Atualmente é um ponto de paragem turístico, pela curiosidade deste duro trabalho manual de extracção de pedra.


Andreia Goulart
Fonte de Imagem: http://www.azoresgeopark.com/geoparque_acores/geossitios.php

Semana do Mar aposta em artistas Açorianos


Na 39º edição da Semana do Mar, os The Gift, Toy e uma banda de tributo aos Dire Straits são os cabeças de cartaz deste ano.

De 3 a 10 de agosto vai decorrer a maior festa da ilha do Faial, com um programa festivo centrado, particularmente, nos artistas regionais.

Durante esta semana realiza-se no Faial um dos maiores festivais náuticos do país, com a participação de mais de mil atletas.

A festa coincide com a chegada da regata Atlantis CUP e com o regresso a França da regata internacional Les Sables/Horta/Les Sables.

Fontes: http://ww1.rtp.pt/acores/index.php?article=36091&visual=3&layout=10&tm=10
http://elosclubedelisboa.blogs.sapo.pt/37152.html

Elisabete Rosa

Jardim botânico José do Canto vai ter núcleo de flora dos Açores



©Jardim José do Canto

O jardim botânico José do Canto, em Ponta Delgada, está a ser alvo de um projeto de requalificação que vai permitir recuperar a sua atmosfera romântica do século XIX e criar um núcleo de flora dos Açores.
Segundo o investigador do Centro de Estudos Geográficos da Universidade de Lisboa, o projeto de requalificação iniciou-se em dezembro de 2013 e deverá prolongar-se até ao próximo inverno, "incidindo sobretudo na limpeza de plantas invasoras, que durante anos foram invadindo o espaço, reabertura dos caminhos do jardim primitivo e colocação de placas de identificação nas espécies".
O objetivo é "colocar à vista dos visitantes um conjunto de árvores monumentais que foram plantadas por José do Canto, um homem que plantou plantas de todo o mundo, e seus jardineiros, há 150 e 160 anos", e introduzir "novas plantas endémicas dos Açores" naquela "reserva botânica de estilo inglês e que cobre mais de seis hectares".
Inscrito na União Internacional de Conservação da Natureza como Jardim Botânico, o projeto de requalificação "não vai alterar o traçado e ambiente romântico", tendo Raimundo Quintal indicando que uma das áreas que estão a ser intervencionadas é o roseiral, "um elemento essencial" do espaço.
O "grosso dos trabalhos" deverá ficar concluído "até final deste ano", afirmou, acrescentando que, no entanto, este é um projeto nunca terminado, evidenciando a "simbiose entre cultura e natureza" no José do Canto.

Adaptado de Açoriano Oriental

Dia 25 de Abril – Dia da Liberdade


O Dia da Liberdade é comemorado em Portugal a 25 de Abril.

A data celebra a revolta dos militares que a 25 de Abril de 1974 levaram a cabo um golpe de Estado militar, pondo fim ao regime ditatorial do Estado Novo, liderado por António de Oliveira Salazar, que governava Portugal desde 1933.

-/-


Para celebrar os 40 anos do 25 de abril, quatro jovens que representam a nova geração de criadores de arte urbana foram escolhidos pelo artista plástico Vhils para criar um mural de homenagem ao 25 de abril.  

Miguel Januário (kiss my walls), Frederico Draw, Gonçalo Ribeiro (MAR) e Diogo Machado (Add Fuel) foram escolhidos pelo artista plástico Vhils, co-fundador da plataforma artística portuguesa Underdogs, para criar um mural de homenagem ao 25 de abril, na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa (FCSH).

Frederico Draw é também do Porto, onde é mais difícil pintar nas ruas legalmente. O seu foco é o retrato do capitão de abril Salgueiro Maia, a partir da icónica imagem do fotojornalista Alfredo Cunha. Gonçalo Ribeiro fez as mãos do povo que sustentam Salgueiro Maia. Nos punhos inscreveu as palavras de ordem da revolução.

A ideia de pintar um mural partiu do Instituto de História Contemporânea da FCSH, que fez questão de não ver previamente o projeto. Nesta intervenção, para celebrar os 40 anos do 25 de abril, repensa-se o passado, marca-se o presente e pergunta-se pelo futuro.


Fontes texto:

Fonte imagem:

"Ilhas de Bruma"


"É um hino não institucional. As 'Ilhas de Bruma' são a autonomia a falar. Ela de facto teve sucesso por várias razões. Uma delas é porque realmente encarna o espírito da autonomia", afirmou à Lusa Manuel Medeiros Ferreira, que em julho de 1983 escreveu o refrão num dia de bruma em que "não se via nada e as gaivotas vinham mesmo beijar a terra".
A canção, que levou dois meses a escrever e a aperfeiçoar, foi tocada em público pela primeira vez na primeira edição do Festival Maré de Agosto, que decorre na ilha de Santa Maria desde 1984, mas verdadeiramente o sucesso popular chegou quando a RTP/Açores aproveitou o tema para algumas das suas séries mais emblemáticas na década de 80 do século passado.
Manuel Medeiros Ferreira, que tem hoje 62 anos, disse que a maior homenagem que lhe podem prestar é continuar a cantar a sua música, revelando que se emociona sempre que vê o público cantarolar a letra de um tema que se tornou "emblemático para todos os açorianos".
Em casa, com vista privilegiada para o Oceano Atlântico e rodeado de livros, música e imagens de José Afonso, Vinicius de Moraes e Jacques Brel, Manuel Medeiros Ferreira confessou que quando escreveu "Ilhas de Bruma" existia "um certo complexo de inferioridade entre os açorianos" e a canção "também serviu para contestar, para despertar a autoestima do povo", algo que "hoje já não se coloca".
"Ainda sinto os pés no terreiro/ Onde os meus avós bailavam o pezinho", escreveu na primeira estrofe das "Ilhas de Bruma", uma referência direta aos antepassados que viveram nos Mosteiros, freguesia da ilha de S. Miguel onde também nasceu.
Nas veias continua a correr-lhe basalto negro e na lembrança tem vulcões e terramotos, mas se voltasse a escrever "Ilhas de Bruma" chamar-lhe-ia "Ilhas do Espírito Santo", por ser um "elemento identitário e verdadeiramente unificador do povo açoriano".
Manuel Medeiros Ferreira, que continua a escrever e a compor canções com o seu violão, garantiu que "só as palavras mais simples atingem as maiorias", sendo o grande problema da transmissão "justamente, conseguir transformar palavras muito eruditas em coisas simples".
Por este motivo, não se admira que os açorianos saibam de cor a letra da sua música e o mesmo não aconteça com a letra do hino institucional dos Açores, da autoria da poetisa açoriana Natália Correia."

Fonte: Diário de Noticias

Ana Antunes

Mundiais de Formula Windsurfing e Slalom


Decorrerá na Baía da Praia da Vitória, o Formula Windsurfing World Championship, de 28 de abril a 3 de maio e Slalom Windsurfing World Championship, de 5 a 10 de maio. São esperados mais de 200 velejadores para os dois eventos. 
A Formula Winsurfing é um formato de regata altamente competitivo no Mundo do windsurf. Estas pranchas possibilitam a sua utilização com diferentes intensidades de vento dos 7 aos 35 nós sendo capazes de atingir velocidades superiores a 30 nós. 

Para mais informações sobre o evento pode consultar as seguintes ligações:

José Andrade lança livro sobre o 25 de Abril nos Açores

Fernando Faria tinha 29 anos de idade quando se deu a Revolução dos Cravos. A queda da ditadura abriu as portas à democracia e o então jovem faialense resolveu formar o primeiro movimento democrático da ilha.
Martins Goulart, na altura, com 25 anos de idade também não ficou parado e formou outro grupo, que viria a estar na origem do atual partido socialista.
O antigo líder regional dos socialistas recorda como foram feitas as escolhas dos candidatos às primeiras eleições para a Câmara Municipal da Horta, apesar destas também terem um pouco de democrático.
Histórias sobre os primeiros passos da democracia nos Açores, agora representada em livro pela mão de José Andrade.










Fonte: http://www.rtp.pt/acores/index.php?article=36065&visual=3&layout=10&tm=6
acores.rtp.pt

Limpeza Atlântica - Atlantic Clean up - 4 Maio


O “No More Plastic Bags for the Azores” (NMPBA) é uma iniciativa que partiu de um grupo de pessoas motivadas pelas preocupações ambientais e que procura soluções alternativas e sustentáveis em relação ao problemático e excessivo uso dos plásticos e, consequentemente, à sua presença desmesurada nas costas das nossas ilhas e no oceano Atlântico.
Pretende-se com esta iniciativa trabalhar em conjunto com as entidades locais e regionais, empresariais e governamentais, para tomar acções concretas que visam a sensibilização da população para o problema, desafiando para a adoptação de medidas ecológicas: Reduzir, Reutilizar e Reciclar o plástico.

LIMPEZA ATLÂNTICA - ATLANTIC CLEAN UP – 4 de Maio de 2014

Esta campanha que decorrerá no dia 4 de Maio de 2014 em toda a costa da ilha do Faial, é a primeira iniciativa do grupo NMPBA e pretende mobilizar o maior número de voluntários para uma limpeza em massa dos plásticos que se encontram na costa e que, naturalmente, acabam no mar. 





Para mais informações visite: http://limpezaatlantica.blogspot.pt/ e para fazer a sua inscrição: noplasticbagsazores@gmail.com

Fontes: OMA

Dia Mundial da Terra



Dia em que se comemora o dia mundial da terra, neste dia  aproveita-se para chamar a atenção sobre os problemas de contaminação do nosso ecossistema, conservação da biodiversidade e outras preocupações ambientais de modo a proteger a terra em que nós vivemos.
Se não protegermos o que é nosso quem vai proteger, à muitas maneiras de proteger e conservar o ambiente, evitando a contaminação da água, do ar e dos solos, protegendo também os animais e as plantas da sua extinção.
Resumindo trate bem do que é seu, a terra é o seu mundo, sem ela não vivemos.



Fonte da foto: https://www.google.pt/search?q=dia+mundial+da+terra


Mónica Martins

Hoje visitámos a Quinta dos Açores...

A Quinta dos Açores é uma empresa sedeada em Angra do Heroísmo que comercializa diversos bens alimentares, nomeadamente Queijos, Gelados, Carnes, Iogurtes e Leite achocolatado. Aliado a estes bens de qualidade, a Quinta dos Açores dispõe de um restaurante onde serve os mais variados pratos e menus.

Paulo Furtado, chefe de sala da Quinta dos Açores, hoje conta-nos a sua experiência na Quinta.

Restaurante da Quinta ©Quinta dos Açores

1-    Como chefe de sala, qual a sua principal função?
R. Organizar o serviço de modo a que tudo corra bem; fazer encomendas aos fornecedores; gerir os horários do pessoal que trabalha na Gelataria.

2-    A Quinta dos Açores tem algum prato de destaque que seja considerado a especialidade da casa?
R. Penso que não, são todos muito bons, de preços muito acessíveis, saem todos muito bem, por isso, é muito difícil destacar um prato.

3-    Para si qual o prato/menu que tem mais procura pelo público?
R. A Salada de Frango Crocante é provavelmente o prato com mais procura.

4-    Em relação aos gelados, sabe como surgiu a ideia de aliar essa sobremesa a doces típicos como a Dona Amélia e a Queijada da Graciosa?
R. Após formação de gelados no estrangeiro por parte da Engª. Helga Barcelos (Administradora da Quinta dos Açores) ela verificou que era uma coisa muito comum, aliar doces típicos de cada região aos gelados, quando ela regressou aplicou essa técnica.

Gelados da Quinta ©Quinta dos Açores

5-    Considera que esse é um produto com receptividade por parte do público?
R. Sim, quase todos os que visitam a Quinta dos Açores procuram esses produtos.

6-    A Quinta dos Açores venceu diversos prémios em 2013 na ilha Terceira, nomeadamente o de melhor Snack, Melhor Menu Salada, Melhor Menu Lanche e Melhor Menu Sobremesa. Teve alguma influência na escolha desses menus?
R. Antes de mais não foi o prémio de melhor snack, mas sim, o de melhor snack bar, o prémio de melhor snack foi para outra casa. Quanto à minha influência colaborei em alguns dando ideias, uma vez que quem trabalha diretamente com o cliente sabe o que ele procura.

7-    Tem algum prato/menu que o caracterize? Ou seja, que tenha mais influência sua e seja também da sua preferência?
R. Sim, o hambúrguer Double Quinta.

8-    A Quinta tenta criar menus temáticos para cada uma das épocas especiais na ilha Terceira, nomeadamente no Dia dos amigos, das amigas, namorados entre outras datas festivas. Considera que estas campanhas têm tido resultados positivos?
R. Muito positivos, todos esses menus são sempre muito procurados por parte dos clientes, sejam eles residentes na ilha ou não.

9-    Gostava que a Quinta dos Açores, enquanto restaurante, se expandisse para outras ilhas? Considera essa questão como uma possibilidade?

Muito obrigada pela sua disponibilidade e desejo-lhe boa sorte para o futuro.

Contactos da Quinta dos Açores:
Morada: Espaço Quinta dos Açores, Pico Redondo, 149 São Bento, 9700-211 - Angra do Heroísmo
Telefone: 295 215 818
E-mail: geral@grupobarcelos.com



Sara Luís