Semana do Mar 2014




A Semana do Mar é o maior festival náutico do país, tem atividades culturais e de entretenimento, mas claro que as principais são ligadas ao mar. Contém regatas de vela ligeira, de cruzeiro e de botes baleeiros, provas de remo, canoagem, jet-ski, natação, polo aquático, pesca desportiva, entre outras atividades, tais como alguns percursos pedestres.
Atualmente a festa que é a maior da ilha e uma das mais importantes do arquipélago é organizada pela Câmara Municipal da Horta junto com algumas entidades, destacando-se o Clube Naval da Horta.

A foto tem o cartaz principal da festa, mas se visitar a pagina: http://www.semanadomar.net/ encontrará o programa completo. Também pode dirigir-se ao Quiosque de Turismo da Horta, no Largo do Infante que temos o programa em folheto.


Fonte da imagem: Câmara Municipal da Horta

Casa dos bordados

Associação de Artesãos da Graciosa


A Associação de Artesãos da Graciosa, foi constituída com o objectivo de se dedicar única e exclusivamente ao bordado Graciosense.
O aparecimento desta associação, sem fins lucrativos, foi também a forma encontrada para dar mais uma oportunidade de trabalho à mulher Graciosense.
Foi sua fundadora Teodora Borba, que quis dar às muitas mulheres Graciosenses que sabiam bordar e tinham gosto por esta arte, uma forma de ter rendimento.
Antes da existência desta associação, havia uma certa dificuldade para os turistas poderem levar uma recordação da ilha Graciosa.





Esta é uma área onde ainda continua a haver carências, o que não pode acontecer, ainda para mais numa altura em que se aponta o turismo, como o futuro económico do Arquipélago.
Aberta quase todos os dias da semana e com uma actividade constante, a Associação de Artesãos da Graciosa enfrenta grandes despesas inerentes à actividade dos bordados, com a sua venda a dar para suportar as despesas de funcionamento desta instituição.
Os bordados Graciosenses possuem classificação de alta qualidade, sendo muito procurados não só pelos Graciosenses, mas também das outras ilhas, em especial Terceira e São Miguel, verificando-se uma grande procura dos emigrantes.
A Associação de Artesãos da Ilha Graciosa já realizou também vários cursos de Bordados, com formação nas técnicas específicas e artesanais do bordado certificado.
Elevar a qualidade do bordado tem sido o trabalho da Associação de Artesãos da Graciosa, que tem a sua sede no edifício da Junta de Freguesia de Santa Cruz.






Fonte: Graciosa Online



Campanha "Salve o planeta…uma caneca de cada vez”


Durante as festas da Praia, que decorrem de 01 a 11 de agosto, a Empresa Municipal Praia Ambiente promove a campanha de sensibilização intitulada “Salve o planeta…uma caneca de cada vez”, criada com o intuito de reduzir a quantidade de lixo produzido durante as festividades Concelhias.

Neste sentido, a partir da próxima segunda-feira, 28, estão à venda no secretariado das festas as canecas reutilizáveis, no horário entre as 12h00 e as 19h00. Por altura das festas, estas podem ser adquiridas no mesmo local, entre as 12h00 e a 24h00.

As Canecas estão também à venda no Quiosque de Turismo da Praia da Vitória, na bilheteira localizada à entrada do Blue Music Resort e nas tascas aderentes identificadas com o autocolante “Encha aqui a sua caneca”, no período de duração das festas. O preço unitário é de um euro.
Associam-se a esta iniciativa, pela primeira vez, a entidade “Amigos do Mato”, com o intuito de sensibilizar a população para a preservação ambiental.

Nos onze dias de festa, a empresa municipal Praia Ambiente disponibilizará em diversos pontos da Cidade uma rede de contentores para lixo, recicláveis (vidro, papel/cartão e plástico/metal) e recolha diferenciada de resíduos, o que perfaz um total de cerca de 500 recipientes de lixo.

Esta iniciativa enquadra-se na estratégia de sustentabilidade ambiental para o Concelho da Praia da Vitória.


São Jorge com recordações

 
Damos a conhecer não só o que temos para oferecer em termos de actividades e natureza como também apresentamos recordações dos Açores e mais especificamente da Ilha de São Jorge!!!
 
Pólo verde natural
 
"VelaS--urf", a marca
 







Saco VelaS--urf

Pólo em Azul claro
Pólo em Azul Marinho












Singlet azul marinho


Senhora azul marinho


T-shirt azul marinho

















 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
O saco acompanha cada um dos artigos aqui presentes!!!
 
 
 
Delicie-se!!!...

O saco (lado oposto)

Salitre – Sal e Aventuras




Localizada em São Jorge, a ilha mais central dos Açores, nasceu a SALITRE, virada para a pesca submarina, pesca à linha, mergulho, material náutico e ainda atividades marítimo-turísticas.


Posicionada, convenientemente, à beira-mar  na Vila das Velas e a dois minutos do porto, a SALITRE cede aos seus clientes uma variada escolha de atividades e produtos de alta qualidade e reconhecimento a nível mundial.


Distribuidora das marcas  ELITE, para Portugal,  esta empresa também tem disponível marcas como BEUCHAT,  ROB ALLEN, SLAM, SUUNTO, AQUALUNG, SHIMANO, RAPALA, BERKLEY, PENN, DUEL, YO-ZURI, entre outras.


Todos os equipamentos fornecidos são escolhidos criteriosamente de forma a agradarem as necessidades do cliente mais exigente.


Para além de um ponto de venda, a SALITRE ambiciona constituir-se de igual forma como um lugar privilegiado para a promoção, divulgação e formação de atividades marítimas, onde encontrará pessoal especializado ao seu dispor.


Atividades da empresa:

- Observação de baleias e golfinhos;

- Transportes inter-ilhas;

- Passeios marítimos pela costa;

- Pesca submarina;

- Pesca à linha;

- Mergulho livre / snorkeling


A SALITRE disponibiliza ainda formações na área do mergulho em apneia. Estes cursos são dedicados sobretudo a quem quer desenvolver as suas capacidades no mergulho livre, tanto para se iniciar, como para níveis avançados, tendo como fundamental objetivo a prática do mergulho livre em segurança.


Cursos de Apneia:

(Matérias mais relevantes):

- Fisiologia – Estudo do funcionamento do organismo;

- Fisiopatologia – Estudo dos acidentes;

- Física – Estudo das forças do mar sobre o organismo;

- SBV – Noções de Suporte Básico de Vida;

- Treino e preparação física para a apneia


Cursos de Pesca Submarina:

- Orientação no mar – Marcas de terra, lidar com a corrente, vento;

- Condições de caça e afins;

- Diferentes técnicas de pesca submarina;

- Fauna e flora;

- Equipamento e bricolages


A idade mínima para a frequência nestas formações é de 14 anos, mediante autorização dos pais. Todas as formações são reconhecidas e lecionadas de acordo com os moldes da FPAS (Federação Portuguesa de Atividades Subaquáticas) nível P1 e P2.



Faça uma visita!



Fonte: http://www.salitre.pt/


Elisabete Rosa



Festas da Praia 2014



De 01 a 11 de Agosto de 2014 realiza-se mais uma edição das Festas da Praia, as maiores festas profanas do concelho da Praia da Vitória. Este ano o tema escolhido para festejar a 25º edição foi "Palco da minha vida".

Segue abaixo o cartaz Blue Music Resort 2014.


Caso pretenda mais informações acerca destas Festas, bem como o preçário de entrada no Blue Music Resort, pode consultar aqui.



Sara Luís


Casa Museu de Maria dos Anjos Melo



Casa Museu de Maria dos Anjos Melo, benzida a 10-05-1996, (feita em pedra de ignimbrito, podemos ver como eram os quartos tradicionais, é uma casa regional antiga, cada quarto com a sua característica própria, com um quarto de cama de casal onde tem um oratório com os anjos, comoda de casal e berço junto à cama, penico, escarradeiras, etc., tem um quarto a meio da casa que servia para receberam visitas, onde faziam também os altares, uma cozinha típica com utensílios de barro, mosquiteiros em forma de lustre feitos em papel, forno de lenha e zona de refeições, falsa com dependência para crianças com camas pequenas, e os baús típicos da América enviado pela emigração, o que variava era os materiais, cozinha em terra batida, outras mais elevadas e ainda outras que tinham dois andares, as quais usavam a parte de baixo para colocar os animais de forma a aquecer a casa nos tempos frios, e ainda havia as casa sem chaminé que também aqueciam mas ficavam cheias de fumo.



Para quem tem o gosto de saber como eram as casas antigas, esta é uma perfeita casa antiga para se ver, que vale a pena visitar.






Mónica Martins

Águas-vivas

                As água-vivas, de nome científico pelagia noctiluca, são uma espécie que apesar de normalmente viverem na coluna de água, entre a superfície e os 150 m de profundidade, as água-vivas têm sido encontradas até aos 1.400 m. Nos Açores podem aparecer isoladas, mas por regra formam agregações mais ou menos compacta, tanto em mar alto como em zonas costeiras. Por vezes, em épocas de grande abundância, especialmente na Primavera e no início do Verão, acumulam-se e arrojam em grandes quantidades nas costas das ilhas. A sua umbrela possui 16 lobos e 8 tentáculos marginais, que se assemelham a cabelos e que podem ter 3m de comprimento. Do centro da umbrela saem 4 braços orais espessos e pregueados. São conhecidas por produzirem bioluminescência nocturna, especialmente quando perturbadas.
                Apresentam entre 3 a 12 cm de diâmetro e alimentam-se de zooplâncton incluindo salpas e outras medusas mais pequenas. Quando em contacto com os tentáculos marginais, as presas são paralisadas por um toxina produzida por células especializadas, depois são transferidas para os braços orais, que as direcionam lentamente para a cavidade gástrica. As águas vivas são observadas sempre em movimento à procura de presas pequenas.

                Estas medusas podem infligir ferimentos mais ou menos graves em banhistas desatentos. Em determinados anos a sua abundância é muito elevada e acumulam-se em praias expostas ao vento.


© Thomas Stauffer

A mulher açoriana de Capote-e-Capelo

O característico Capote-e-capelo foi, durante muito tempo, um traje tradicional da mulher açoriana. A origem deste traje é muito discutida. Há quem afirme que teve origem flamenga, outras pessoas,  que foi uma adaptação dos mantos e capuchos que, nos séculos XVII e XVIII,  estavam na moda em Portugal, alguns ainda que foi inspirado pelo manto da virgem e algumas outras figuras da Bíblia.
Este traje baseava-se numa grande capa rodada, que cobria a mulher. O capelo, largo capuz suportado por um arco de osso de baleia e forro de cânhamo, que lhe assegurava a forma e a consistência,  assentava sobre os ombros e só possibilitava um vislumbre do rosto da mulher.

O capelo que era utilizado nas ilhas do Faial e  de Santa Maria tinha uma forma mais extravagante de uma cunha sobre os ombros e que se projetava em frente por mais de um palmo.

Capotes (ilha do Faial)


 
Nas outras ilhas dos Açores, o capelo não era tão avançado sobre o rosto da mulher, como se pode ver neste retrato do capote-e-capelo de duas mulheres micaelenses.


Capotes (ilha de São Miguel)
 
Para além da função de abafo que tinha este traje, muito favorável para levar à missa como também para encontros mais discretos, punha a mulher quase excluída da sociedade, uma vez que, completamente cobertas, ninguém descobriria a sua identidade a não ser que fossem conhecidas pelo seu calçado.
A característica comum a todas as variantes era ser sempre feito num forte tecido grosso azul-escuro ou negro.
Com a evolução dos tempos e dos costumes, a mulher açoriana abdicou do uso de capote-e-capelo. Hoje em dia, tornou-se num símbolo do vestuário tradicional  açoriano, divulgado quase exclusivamente pelos ranchos folclóricos e grupos etnográficos.
 
Fonte: http://deontemedehoje.blogspot.pt/2012/11/acoriana-de-capote-e-capelo.html
Patrícia Machado

Banda Limão&Chá Verde na Semana do Mar 2014



Esta banda começou após o concurso Azores Winter Festival em Dezembro de 2013 na ilha do Pico, em que concorreram várias bandas de garagem. Após a banda vencedora houve os prémios individuais, assim juntaram-se o melhor Guitarrista (João Miguel Silva), o melhor Baixista (João Gonçalves), o melhor Baterista (João Melo) e o melhor Vocalista (Hugo Trombas). Começaram em Janeiro de 2014 e têm preparado a sua atuação para o dia 01 de Agosto na Semana do Mar de 2014 no palco principal e depois no dia 07 do Sporting Club da Horta. Em Junho deste ano mudaram de vocalista sendo agora o Nuno Franco Carneiro que já era conhecido entre os Faialenses.
Após a Semana do Mar já tem várias atuações em vista sendo algumas delas no Pico e gostariam de ir mais longe.
Para ver alguns dos vídeos desta banda em inicio de carreira mas que promete dar que falar visite: https://www.facebook.com/photo.php?v=253113844895962&set=vb.100005920447783&type=3&theater
 
 
 
Fonte da imagem: https://www.facebook.com/photo.php?fbid=266608450213168&set=pb.100005920447783.-2207520000.1406388877.&type=3&theater

Roteiro dos Murais na Madalena, Pico

Novo Roteiro na Ilha do Pico!



Roteiro dos Murais

"A associação MiratecArts, no âmbito das últimas duas edições do festival Azores Fringe, realizou 8 pinturas de murais nas ruas do centro da vila da Madalena. De várias temáticas e estilos, artistas realizaram suas ideias e expressões artísticasem arte pública, em que todos tem acesso, e assim a associação criou o roteiro, fácilmente executado numa caminhada de uma hora.

As últimas adições foram a fachada da Adega Cooperativa Vitivinícola da Ilha do Pico onde o picoense Djervy realizou 5 painéis de arte alusiva à vitivinicultura, assim como também a artista uruguaia Rocio Matosas que levou este tema em frente para realizar "Baco" nas paredes exteriores do Estádio Municipal. O facto que a Paisagem da Vinha da Ilha do Pico está celebrando 10 anos de Património Mundial  tem influenciado a arte e eventos da ilha montanha deste ano.

Djervy já tinha realizado uma grande obra em 2013 no Parque de Campismo assim como o luso-francês Carlos Farinha que também tem duas obras no roteiro dos murais da Madalena no local do Jardim dos Maroiços. Luis Brum (Terceira) adiciona as suas duas obras, a mais recente sendo a fachada do Museu de Cachalotes e Lulas. O trabalho realizado por Inês Ribeiro (Leiria, Portugal), com participantes com deficiências do Centro de Atividades Ocupacionais da Santa Casa da Misericórdia, homenagiando os barcos de outros tempos, também faz parte do roteiro.

Assim, o roteiro dos murais incentiva uma caminhada pela Madalena conhecendo a vila de uma forma diferente."Esta ferramenta incentiva caminhar pela vila. Também se pode fazer com carro, mas quem consegue andar a pé vai desfrutar muito mais seguindo o roteiro e visitando os pontos de arte publica que temos para oferecer," diz Terry Costa, o diretor-artístico da MiratecArts, que organizou projetos artísticos e o roteiro. "É mais uma grande valia para a Madalena e para a ilha do Pico. Espero que os residentes também façam este roteiro, sei que vão aprender algo novo sobre a sua vila." 

Para saber mais sobre os artistas que realizaram trabalhos neste roteiro assim como futuros projetos visite www.mirateca.com 

MiratecArts lidera vários projetos desde o festival de mostra de arte e artistas Azores Fringe, a plataforma de artistas açorianos DiscoverAzores, e incentiva lusodescendentes a investir com sua arte no país através do projeto Atlantes." 



Fonte: Mirateca Arts [info@mirateca.com] - www.mirateca.com 

Andreia Goulart