Entrevista com o Sr. Fernando Antonio Goulart


Culturpico FM à conversa com Fernando António Goulart, natural de Santa Cruz das Ribeiras, Lajes do Pico.

No passado dia 18 de Maio, o programa de rádio, Culturpico FM, através das colaboradoras Marilda Tavares e Carolina Simas estiveram à conversa com o senhor Fernando António Goulart relativamente à confeção das Sopas do Divino Espírito Santo, entrevista esta alusiva à festividade.

As festas em louvor do Divino Espírito Santo são um dos traços mais marcantes da identidade açoriana, aliás, não há localidade açoriana que por estes dias não viva a festa do Divino.
Fernando António Goulart, natural do lugar de Santa Cruz das Ribeiras já confeciona as tradicionais sopas do Espírito Santo há 27 anos, algo que lhe dá muito gosto pela imensa fé que tem ao Divino Espírito Santo.


Marilda Tavares - Bom dia, seja bem-vindo ao nosso programa Culturpico FM.
Como surgiu este gosto e com quem aprendeu a fazer as sopas do Espírito Santo?
Fernando A. Goulart - Quero desde já agradecer o convite ao Programa Culturpico FM, nomeadamente aos seus colaboradores.
Sempre fui devoto do senhor Espírito Santo, por isso o gosto pelas sopas surgiu naturalmente, até porque já a minha avó fazia. No entanto, quem me incutiu o gosto por fazê-las foi uma grande mulher, a senhora Beatriz, natural do lugar das Terras, no qual comecei por ajudá-la com os tachos e temperos.
Certo dia pediram-lhe para ela confecionar sopas para um casamento, no entanto a senhora Beatriz já tinha um compromisso agendado para esse dia e indicou-me para a substituir. Foi assim que tudo começou, no dia 3 de dezembro de 1988, mais precisamente à 27 anos e continuo até aos dias de hoje.

Carolina Simas - Quantos dias levam a preparação das sopas?
Fernando A. Goulart -  Geralmente as senhoras juntam-se na quarta-feira antes do Espírito Santo para fazerem o fermento, o bolo e o pão de milho e claro o pão das sopas do Espírito Santo. São mais ou menos cinco dias antes do dia da festa em questão. Prepara-se a comida, bem como a sala que recebe os convidados.


Marilda Tavares - Quais são os principais ingredientes, se é que pode revelar?
Fernando A. Goulart - Posso revelar sem problema algum, aliás quando as pessoas me pedem a receita dou-a de boa vontade.  
Então, um tacho de 50 litros leva, mais ou menos, 18 a 20 Kg de carne mista, o que dá para aproximadamente 30 pessoas. Ao nível de temperos: Cebolas (8 cabeças); alhos (7 cabeças); Tomatada; Jamaica (4 colheres de sopa); canela em pau; 3 caldos Knorr; 125gr de manteiga; 8 folhas de couve; hortelã; 10 pães das Sopas do Espírito Santo. Quero salientar que é necessário salgar a carne entre 12h a 15h antes, mas com pouco sal. Sou muito sincero, não confio em ninguém para o fazer para além da minha pessoa.
Claro que o tempero depende muito do paladar de quem estar a confecionar, mas isso já vai do gosto de cada um.


Carolina Simas - Depois desses anos todos a confecionar as tão desejadas e deliciosas Sopas do Espírito Santo, ainda o faz com o mesmo prazer e empenho de anos passados?
Fernando A. Goulart - Faço sempre como se fosse o primeiro dia e com o mesmo empenho de sempre, acompanhado da minha enorme fé que tenho no Divino Espírito Santo. 
Se o mordomo da festa quer que as sopas fiquem boas, pois eu quero ainda mais que ele, e quando não pensar desta forma, não vale a pena continuar a fazer.

Marilda Tavares - Tem alguém que esteja a aprender consigo?
Fernando A. Goulart - Não tenho ninguém que esteja a aprender comigo, mas tenho pessoas que me abordam bastante interessadas nesta matéria, como por exemplo o Ricardo Tavares, natural de Santa Cruz das Ribeiras, que tem muito jeito e bom paladar para confecionar as sopas. Outra pessoa interessada, também do lugar de Santa Cruz, é o Rui Costa.
Tenho pena que os mais novos não se interessem por uma tradição da nossa Terra, outros gostam de ajudar mas não querem assumir a responsabilidade.


Carolina Simas - Vê nas gerações mais novas o gosto pela cozinha tradicional das “nossas” festas?
Fernando A. Goulart - Infelizmente não! Gosto muito dos jovens e apoio-os em tudo, no entanto estão mais virados para outras “distrações”. No meu ponto de vista, a fé não é igual como aquela que está presente nos mais antigos.
Acho importante que se comece a incutir o gosto pelas nossas tradições nas camadas mais jovens, nomeadamente o culto ao Divino Espírito Santo.


Marilda Tavares - Além das sopas também confeciona a carne assada?
Fernando A. Goulart - Só ajudo na vinha d’alhos ou a preparar as travessas. A carne assada é geralmente da responsabilidade das senhoras que estão na cozinha e destacadas para o forno.


Carolina Simas - Só faz as sopas cá na freguesia ou já fez noutros lugares, nomeadamente fora da ilha?
Fernando A. Goulart - Tanto faço cá na ilha do Pico como fora dela. Já fui duas vezes à Casa do Triângulo nas Capelas e também duas vezes ao Coliseu Micaelense, isto na ilha de São Miguel. Foi uma boa experiência, com pessoas muito interessadas, que gostam de ajudar e que têm imensa fé no Divino Espírito Santo. Felizmente correu tudo muito bem.
Aqui na ilha do Pico, mas fora da freguesia das Ribeiras, já fiz sopas na Prainha do Norte, nas Sete Cidades na Madalena, Piedade e Ribeirinha, sendo que a maior contou com 1200 pessoas para o senhor João Alemão.
Isto sem contar que todos os anos confeciono as sopas para o lugar de Santa Cruz, Ribeira Grande e Pontas Negras na freguesia das Ribeiras.


Marilda Tavares - As sopas do Divino variam, por vezes bastante, de freguesia para freguesia e de ilha para ilha. Em que se diferencia as que confeciona em relação às outras?
Tem algum segredo?
Fernando A. Goulart - Fico muito satisfeito por acharem que as minhas sopas estavam boas e que são mais leves, sem exagerar no tempero, no entanto não são as únicas. Por exemplo, já comi sopas em S. Roque do Pico e o que as diferenciava das minhas era o picante. Estavam também boas, mas com algum picante. Outras têm um ligeiro sabor a vinagre derivado ao vinho branco que colocam. Não coloco vinho branco nas minhas sopas.
Sou da opinião que o concelho das Lajes do Pico, desde a Ribeirinha a S. João, é o que melhor confeciona as sopas do Espírito Santo.


Carolina Simas - No dia do “Gasto de Coroa”, a que horas levanta-se?
Fernando A. Goulart - Depende da hora a que a missa da festa irá realizar-se, mas geralmente acordo pelas 4horas da manhã para garantir que tudo está pronto a tempo e horas. É muita responsabilidade e não convém facilitar.


Marilda Tavares - Quanto tempo leva até servir as sopas aos convidados?
Fernando A. Goulart - Bem, a carne leva geralmente quatro horas a cozer e depois é necessário que repouse. Depois de isto estar feito, coloca-se o caldo nas sopas e tapa-se com papel, aproximadamente durante uma hora.
Quando o foguete é lançado, no final da missa, tem de estar tudo pronto a ser servido. Este processo leva cerca de duas horas.


Carolina Simas - Para quantos pessoas costuma normalmente preparar as sopas?
Fernando A. Goulart - Os números variam, por exemplo, já fiz para 120 pessoas, 150, 300, 400, 500, 800 no caso das Sete Cidades, 1000 em Santa Cruz das Ribeiras e 1200 pessoas na Ribeirinha. Depende da quantidade de pessoas que o mordomo da festa em questão convida.
Só depois de saber o número exato das pessoas convidadas é que posso preparar a comida.


Marilda Tavares - O que representa para si o Culto ao Divino Espírito Santo? Desempenha estas funções pelo amor e dedicação à fé que tem?
Fernando A. Goulart - Acho que com o passar dos anos ainda tenho mais fé no Divino Espírito Santo, e é por isso mesmo que continuo a fazer as sopas, pela minha grande fé. Gosto de ajudar no que posso apesar de atualmente, por questões de saúde, não o poder fazer como gostaria.


Carolina Simas - É uma forma de ajudar e participar na vida da comunidade?
Fernando A. Goulart - Sim e também é uma forma de não deixar morrer as tradições que caraterizam esta Terra.



Marilda Tavares - Senhor Fernando, não sei se quer acrescentar mais alguma coisa?
Fernando A. Goulart - Quero agradecer o convite à rádio Montanha, em especial ao programa Culturpico FM, por esta oportunidade e que gostem das sopas para esta festa do Divino Espírito Santo.




Taste in Adegas- Ilha do Pico


Durante o Taste in Adegas pode provar, em primeira mão, os novos vinhos – brancos, rosés, tintos e licorosos | monocasta e multicasta - que se apresentam no ano de 2015 no mercado. Não perca esta oportunidade de 3 a 5 de Julho, na ilha do Pico.


Ana Antunes

Festas da Madalena promovem Prova de Triatlo





A organização das Festas da Madalena vai promover o I Triatlo das Festas da Madalena, que terá lugar no dia 25 de julho e promete seduzir os apaixonados pelo ciclismo, atletismo e desportos náuticos.

As equipas participantes deverão ser formadas por três elementos, cada um executando apenas uma modalidade, caiaque, ciclismo ou corrida, num percurso que passará por algumas das mais idílicas paisagens da Ilha, no total de 14. 5 quilómetros em bicicleta, 6.2 quilómetros de corrida e 1.97 milhas náuticas em caiaque.

Promover o desporto, proporcionando momentos de pura diversão e salutar competição, é o objetivo do I Triatlo das Festas da Madalena resultante de uma organização conjunta da Câmara Municipal, do Serviço de Desporto do Pico, do Clube Naval da Madalena, da Associação de Atletismo do Pico e da Empresa Cordeiro e Filhos.


http://www.acorianooriental.pt/noticia/festas-da-madalena-promovem-prova-de-triatlo

Carolina Simas

Dia do Emigrante - Happy 4th of July


De 4 a 5 de Julho.
 - Almoços de Angariação de Fundos
 - Touradas à Corda
 - Folclore, cantorias e Chamarritas
 - Bebidas e diversos petiscos!
Local: Centro Social e Recreativo da Silveira

Andreia

Mergulho nos Açores

As nove ilhas e alguns ilhéus são apenas a face aparente e mais conspícua dos Açores. Sob as suas águas existem mais de trezentas montanhas, numerosos vales e cordilheiras. Trata-se do mais oceânico arquipélago de todo o Atlântico. Um remoto centro de cruzamento de influências oceanográficas com um património único de biodiversidade selvagem. Ocorrem aqui mais de 20 espécies de cetáceos, quase setecentas espécies de peixes, numerosas aves marinhas, tartarugas, importantes recifes e jardins de corais de mar profundo, povoamentos de algas variadas, cefalópodes, crustáceos e muitos outros invertebrados. Não há comparação possível entre a riqueza selvagem do ambiente marinho dos Açores e a do ambiente terrestre. Para além das espécies, os habitats são também únicos e diversos: vulcões activos, gruta, baías abrigadas e costas expostas, bancos ao largo, caldeiras extintas, ilhéus e declives de ilha, azul do profundo e de aparência infinita do mar aberto.



Esta notável riqueza tornou-se cenário inspirador de inúmeros fotógrafos e cineastas de todo o mundo e permitiu ganhar espaço de interesse mundial para a fotografia sobre a vida marinha dos Açores.

Um dos “pontos quentes” da beleza paisagística subaquática e da biodiversidade marinha é sem dúvida a ilha Graciosa com os seus ilhéus e fundos rochosos onde a intervenção humana tem sabido estar em harmonia com a natureza selvagem. Mergulhar ao largo das ilhas do Grupo Central faz-nos sentir em harmonia num espaço tridimensional de imponderabilidade onde cada espaço da rocha está coberto de vida e por todo o lado rodeado de peixes.

Museu de Cachalotes e Lulas na Madalena do Pico regista mais de 4 mil visitantes

O Museu de Cachalotes e Lulas, que foi inaugurado a 22 de junho de 2014, já alcançou neste primeiro ano de vida, 4320 visitantes, tendo recebido dezenas de eventos de promoção ecológica e divulgação do património ambiental, como a extensão do Cine' Eco que é o único festival de cinema, em Portugal, dedicado à temática ambiental, com lugar de relevo no panorama internacional.
Entre os principais visitantes do espaço, têm maior destaque os cidadãos alemães, ingleses, holandeses, suecos, franceses e italianos, tendo ainda sido visitado por cidadãos de países como a Bielorrússia, o Chile e a Colômbia.
Com uma vasta multiplicidade de atrativos, particularmente exemplares volumétricos à escala real de cachalotes e da sua principal fonte de alimentação, as lulas, o Museu tem impulsionado ainda diversas visitas, especialmente junto da comunidade escolar.
A autarquia da Madalena tem apostado deste modo, na valorização e na promoção da identidade e das qualidades do concelho, como apoios do incremento turístico, cultural, científico e económico.
 
 
 
 
 
Fonte:http://www.acorianooriental.pt/noticia/museu-de-cachalotes-e-lulas-recebe-mais-de-quatro-mil-visitantes-no-primeiro-ano

O Milhafre (ou Águia-d'asa-redonda)




O Milhafre ou Águia-d’asa-redonda, subespécie endémica dos Açores, é a única ave de rapina existente neste arquipélago e a também a única diurna.
Esta ave só existe em 7 ilhas dos Açores (não há nas Flores nem no Corvo) e o seu habitat é predominantemente em bosques de criptomérias, áreas de mato, e pastagens agrícolas.
A sua alimentação concentra-se essencialmente em pequenos mamíferos, dos quais se destacam o coelho e o rato, também se alimenta de aves, e raramente de insetos e minhocas.
O comprimento varia entre os 43 e os 57 cm e tem entre 113 a 128 cm de envergadura, a cor predominante na sua plumagem é o castanho, variando entre os tons claros e os escuros.

Esta espécie está em risco de ficar ameaçada, segundo a avaliação do IUCN (International Union for Conservation of Nature – União Internacional para a Conservação da Natureza).


Fonte da imagem: http://cdn.olhares.pt/client/files/foto/big/151/1511096.jpg

Sanjoaninas 2015 - A Festa é Linda!!!



É a última Sexta Feira das festas populares mais aguardadas da Ilha Terceira, mas não desanime, porque a animação será garantida. 

Ás 21h00 irá decorrer o típico desfile Infantil com o tema "Histórias de Agora e de Sempre". De seguida a não perder no palco do Bailão o concerto de David Fonseca pelas 23h00 e de seguida um dos melhores dj's do mundo Diego Miranda, iniciando a sua actuação pela 1h00. 

Caso o seu rumo seja outro poderá também se encantar com a exposição presente na Rua da Esperança intitulada Cidades Irmãs ou ainda ouvir e ver os Myrica Faya, no palco do Guarita situado no pátio da alfândega, para presenciar o que de bom se "faz" por cá. 

A Festa ainda se prolonga por Sábado e Domingo. Sim, no Domingo ainda podem contar com alguns concertos, a destacar o Kris Allen, vencedor da oitava temporada do American Idol, um espectáculo que não vai querer perder. 

Para mais informações sobre o programa e respectivas actividades que poderá participar ou presenciar consulte o site das festas em www.sanjoaninas.pt. 

A Festa é linda!!! 


Amélia Borges 

Novo trilho pedestre no concelho da Madalena Percurso liga Porto do Calhau à Canada das Adegas na Candelária






Abriu um novo trilho pedestre no concelho da Madalena. Luís Neto Viveiros, secretário regional da Agricultura e Ambiente, esteve na abertura do trilho e percorreu parte dos 7,5 km que fazem a ligação entre o Porto do Calhau e a Canada das Adegas, na Candelária.
Luís Neto Viveiros diz que esta “é mais uma oferta para a valorização turística do Pico e pode contar a história de todos os antigos agricultores que por ali trilharam o seu trabalho”.
O trilho faz-se junto à costa e passa por canadas antigas, currais de vinha, núcleos habitacionais costeiros, ruinas de antigos núcleos, poços de maré e estruturas murais. O percurso insere-se nos “cerca de 80 trilhos que existem em toda a região e que totalizam cerca de 800 km”.
Sendo a Paisagem da Cultura da Vinha do Pico classificada em 2004 como Património Mundial da UNESCO, o objetivo passa por dar conhecer à população e visitantes, as particularidades desta paisagem. Vai permitir também, observar diversas espécies de fauna e flora endémicas, elementos da paisagem vulcânica.

Emanuel Pereira/RP 

Fonte: http://radiopico.com


Ana Cabrita

Programa XXVIII Semana Cultural das Velas



Nos dias 2,3,4 e 5 de julho, decorrerá na Vila das Velas da ilha de São Jorge a XXVIII Semana Cultural de Velas.
O programa previsto para estes dias são:

Dia 02- Quinta

19h30- Abertura Oficial da XXVIII Semana Cultural das Velas 
Local:   Salão Nobre dos Paços do Concelho 

21h00- Abertura do " Parque da Gaitadaria"
Local:   Avenida da Conceição 

21h30- Desfile de Filarmónica  
Sociedade Filarmónica Nova Aliança  
Sociedade Lusitânia Clube Recreio Velense
Sociedade Filarmónica União Rosalense
Sociedade Filarmónica  União Urzelinense
Sociedade Filarmónica Recreio Amarense
Sociedade Filarmónica União Terreirense
Sociedade Filarmónica  Recreio Nortense
Sociedade  Estímulo 
Local: Avenida da Conceição

22h30- Festival de Filarmónicas
Local: Palco Secundário

02h00- DJ Rui Z
            DJ Rod`Ávila
Local: Tenda Eletrónica


Dia 03-Sexta  Dia Do Triângulo

10h00- Torneio de Duplas de Vólei de Praia organizado pela junta de Freguesia de Velas
Local: Poça dos Frades

15h00- Passeios de Bote Baleeiro organizados pelo Clube Naval de Velas
Local: Baía de Velas

18h00- Demonstração de Piloxing e Kangoo Boot Camp
Instrutora Clara Fonseca  
Local: Poça dos Frades

18h30- Apresentação da Marca Triangle e lançamento do Portal de São Jorge pelo Dr.Simas Santos de Fonte Travel
Local: Salão Nobre dos Paços do Concelho

19h00- Torneio de Futsal Feminino
Equipas de São Jorge, Pico e Graciosa
Local: Pavilhão do Futebol Clube Marítimo Velense

19h30- Abertura do Quiosque do Triângulo
Local: Avenida da Conceição

20h30- Demonstração de Judo organizada pelo judo Clube de São Jorge
local: Palco Secundário

21h00- Desfile de moda com as Lojas Gary Store, CaldeiraSurf, G&R Fashion e Eleven Eleven
Local: Avenida da Conceição

22h30- Atuação do Grupo Picoense TROVAS DA MADRUGADA
Local: Palco Secundário

00h00- Atuação da Banda Jorgense QUINTA TRIBU
Local: Palco Principal

01h30- Atuação da Banda Faialense ROCK IT
Local: Palco Principal

03h00- DJ Deep Noiser
            DJ Souza
Local: Tenda Eletrónica


Dia 04- Sábado


10h30- Roteiro Cultural
"Velas - Um passeio com vagar" Organizado pelo Parque Natural de São Jorge
Concentração : Junto ao Auditório Municipal

11h00- Final do Torneio de Futsal Feminino
Equipas de São Jorge, Pico e Graciosa
Local: Pavilhão do Futebol Clube Marítimo Velense

12h00- Chegada da Regata   Horta -Velas- Horta Organizado pelo Clube Naval da Horta em colaboração com o Clube Naval das Velas
Local: Baía das Velas

14h00- Prova Regional de Jet Ski Grande prémio  das Velas de Jet Ski -Runabout Closed Course
Organizado pelo São Jorge Automóvel Clube Náutica
Local: Baía de Velas

15h00- The Light Summer
Local: Poça dos Frades

16h00- Torneio de Futebol de Veteranos do Triângulo
Local: Campo de Jogos Municipal

16h30- Atuação do grupo de dança Heart Beat
Local:  Poça dos Frades

19h30- Desfile do Clube Motard de São Jorge
Local: Avenida dos Baleeiros

20h00- Espetáculo  de Freestyle com o piloto Paulo Matias
Local: Avenida da Conceição

21h30: Desfile da Charanga da AHBVV
Local: Avenida dos Baleeiros


22h00: Desfile de Marchas de São Jorge e Terceira
Local: Avenida dos Baleeiros

24h00:Atuação do grupo Myrica Faya
Local: Palco Principal 

01h30: Atuação do Artista  BOSS AC
Local: Palco Principal

03h30: DJ`S MACOW E GONGA
DJ NINJA KORE
Local: Tenda Eletrónica


Dia  05 Domingo

10h00- Partida da Regata Horta  - Velas - Horta 
Local: Baía de Velas

11h00- Regional de Runabout - Prova de Inshore Runabout Velas - Calheta - Velas Organizado pelo São Jorge Automóvel Clube Náutica
Local: Baía das Velas 

11h30- Final do Torneio de Futebol de Veteranos do Triângulo 
Local: Campo de Jogos Municipal

14h00 - Prova desportiva da Associação de Caçadores da Ilha de São Jorge 
Local: Zona de Entre Morros

16h00 - Tourada à corda com touros de Ganadaria de Álvaro Amarante  
Local: Cais Comercial

20h30 - Entrega de Troféus 
Local: Palco Secundário

21h00 - Cantigas ao Desafio com os cantadores Bruno Oliveira, João Bettencourt, José Eliseu e Marcelo Dias 
Local: Palco Secundário

22h30  -  Atuação da Orquesta Ligeira da Associação Cultural das Velas 
Local: Palco Secundário 

23h30 - Atuação da Banda  AMOR ELECTRO
Local : Palco Principal

01h30 -DJ Phill Jay
Local: Tenda Eletrónica


Fonte:https://www.facebook.com/municipiovelas/photos/pcb.383064395234836/383064345234841/?type=1&permPage=1

Gina Maciel

FESTIVAL FRINGE PASSARÁ PELA GRACIOSA ESTE MÊS


 O Festival Fringe já começou e a nova edição traz 110 eventos desde literatura, exposições, teatro, dança, música, workshops, 134 filmes no SHORTS@FRINGE, Encontro Pedras Negras (escritores açorianos). Encontro de Ilustradores, Go Skateboarding Day, e actividades eclécticas como o Projeto Tricô e um dia de +Arte no Corvo.

Participam neste festival 188 artistas representando 36 países e de todas as 9 ilhas dos Açores, com programação em 7 ilhas, 12 municípios, com o epicentro na vila da Madalena, ilha do Pico.


O Fringe estará na Graciosa a 26 e 28 de Junho com os eventos Filmógrafo e Bang Crianças, na Associação Cultural Desportiva e Recreativa da Graciosa.



Fonte: http://www.radiograciosa.com/

Dia de São João







Neste dia comemora-se as festas de São João em várias localidades e por todas as ilhas dos Açores, uns comemoram este dia com marchas e desfiles, enquanto outros fazem uma fogueira gigante em que as pessoas se reúnem e passam a noite juntas.

São ainda várias as atividades realizadas neste dia, como atividades desportivas e musicais, entre outras.

É uma festa a não perder.



Mercearia dos Açores

                Se pretende encontrar algum produto dos Açores e encontra-se em Lisboa, a Mercearia dos Açores é o local onde se deve dirigir. Situa-se na Rua da Madalena, 115 Lisboa.
Poderá visitar a página: http://www.merceariadosacores.pt/ onde encontrará mais informações.




Cavidades vulcânicas dos Açores reunidas em catálogo




Nos Açores existem cerca de 270 cavidades vulcânicas conhecidas, embora nem todas visitáveis, cuja informação passa a estar reunida num catálogo em formato digital e bilingue a partir de sábado.
  
"Existe uma informação genérica que faz uma caracterização da importância desse tipo de habitats, não só das grutas e algares em si mas também da fauna e flora cavernícola que está associada", afirmou Manuel Paulino Costa, membro do Grupo de Trabalho para o Estudo do Património Espeleológico dos Açores (GESPEA), que elaborou o Catálogo das Cavidades Vulcânicas dos Açores.
A publicação, em formato 'e-book', que poderá ser consultada gratuitamente a partir da página na internet www.montanheiros.com será apresentada no sábado, no âmbito de um colóquio sobre o décimo aniversário da abertura da Gruta das Torres, na ilha do Pico.
Manuel Paulino Costa adiantou que o catálogo reúne uma série de informação que estava dispersa por várias entidades e numa base de dados de cariz científico, que não era de acesso livre, sobre as cavidades vulcânicas conhecidas nos Açores.
O Corvo é a únic adas nove ilhas dos Açores onde, até ao momento, não é conhecida qualquer gruta ou algar.
"Este é um processo dinâmico. Todos os anos estão a aparecer/descobrem-se mais grutas", referiu Manuel Paulino Costa, que também é diretor do Parque Natural do Pico.
Das cerca de 270 cavidades vulcânicas naturais (tubos de lava e algares vulcânicos) conhecidas, atualmente, nos Açores, nem todas são visitáveis ou estão abertas ao público em geral.
No arquipélago, a ilha do Pico é a que maior número de grutas possui, sendo atualmente conhecidas 81 cavidades vulcânicas.
"Além da Gruta das Torres, que está aberta ao público, [na ilha do Pico] existem outas que naturalmente são visitáveis, como a Furna d´Água e a Furna do Frei Matias", referiu Manuel Paulino Costa.
Das cavidades vulcânicas visitáveis nos Açores fazem, ainda, parte o Algar do Carvão, na Terceira, a Caldeira da Graciosa e Furna do Enxofre, também na Graciosa, já visitadas por reputados naturalistas e pelo príncipe Alberto I do Mónaco, e a Gruta do Carvão em S. Miguel, com 1.250 metros visitáveis em dois troços separados.
Manuel Paulino Costa revelou que durante o primeiro ano a ideia é estabilizar a versão eletrónica do catálogo, fazer melhoramentos e depois avançar para uma edição em papel.
O Catálogo das Cavidades Vulcânicas dos Açores foi elaborado pela GESPEA, um grupo de trabalho multidisciplinar criado pelo Governo dos Açores em 1998 a quem compete, entre outras coisas, propor medidas legislativas adequadas à proteção, conservação e valorização deste património natural.



Fonte: http://www.acorianooriental.pt/noticia/catalogo-digital-da-a-conhecer-cavidades-vulcanicas-dos-acores



Carolina Simas

Poema " Pôr-do-sol no Pico"



Pôr-do-sol no Pico

"Vieram as nuvens lentas
envolver a montanha.

As cores diluídas em negro
rubro: ondas verticais de basalto fervente
dançando da terra ao céu.

Há muitos muitos anos os meus antepassados 
com seus olhos de homens
olharam esta montanha
como se fora mulher-

Ai as pedras vivas que morreram nos seus corações!

- e eles sem poderem saber os meus olhos de hoje. "

Fonte: Livro "O Fogo Oculto" de Vasco Pereira da Costa.

Ana Antunes

Festas de São Pedro – 3, 4 e 5 de Julho 2015 em Santa Maria


Fonte:http://www.azorestoday.com/2015/06/04/festas-de-sao-pedro-3-4-e-5-de-julho-2015-em-santa-maria/

D.A.M.A no palco do Bailão

©Sanjoaninas

Hoje é o dia dos D.A.M.A animarem o recinto do Bailão nas Sanjoaninas.
Com um dia repleto de atividades, as Sanjoaninas enchem-se de festa para animar a noite dos Açorianos.
Abaixo segue o link onde pode aceder a toda a programação das festas, bem como a explicação da vendas das pulseiras.
Informação sobre Pulseiras: http://www.sanjoaninas.pt/pulseiras/

Não pode faltar a umas festas como esta!


Boas Sanjoaninas! 

Sara Luís

Encontro Internacional de Canyoning dos Açores em São Jorge

Aventour
 
Decorre de 20 a 26 de setembro, na ilha de São Jorge, o segundo encontro internacional de Canyoning dos Açores.
 
Serão cerca de 150 atletas que vão parcicipar neste evento.
 
O primeiro encontro realizou-se em 2014 na ilha das Flores e este ano o governo regional aposta na ilha de São Jorge, uma vez que é uma das ilhas dos Açores que oferece excelentes condições para esta modalidade.
 
Canyoning é o desporto com características únicas que permite desfrutar a Natureza através dos cursos de àgua e este ano é a ilha de São Jorge a receber o segundo encontro.
 
Vitor Fraga, Secretário Regional do Turismo, confirma todo o potencial que a região tem  e espera que este evento contribua quer para a promoção da região além fronteiras, quer para a captação direta dos turistas da ilha de São Jorge, associados à prática da modalidade.
 
 
Fonte: http://www.rtp.pt/acores/desporto/canyoning-atrai-a-sao-jorge-150-atletas-video_47174
 
Elisabete Almeida
 

Cais Agosto 2015


A edição de 2015 do festival "Cais Agosto", as maiores festas do concelho de São Roque do Pico, decorre entre 30 de julho e 2 de agosto.

Aqui ficam alguns links relacionados, o vídeo de apresentação e o banner deste festival: 



 Este post irá sendo atualizado à medida que forem surgindo mais informações.

Fonte: http://caisdopico.blogspot.pt/
Andreia

Regatas de Botes Baleeiros Açorianos



Inspirados na herança norte-americana os açorianos produziram, nos finais do séc. XIX, princípios do séc. XX, um novo modelo de bote baleeiro, melhor adaptado ao tipo de baleação costeira, sedentária e artesanal que se praticou nas ilhas dos Açores.

O bote baleeiro açoriano, uma imagem de marca da construção naval no plano internacional, é, incontornavelmente, um dos mais importantes vestígios materiais do património baleeiro e da cultura da baleação na Região.

As regatas de botes baleeiros açorianos, como forma de celebração da nossa relação épica e mítica com o mar e com as baleias, remontam ao período da baleação. Realizavam-se nos portos baleeiros mais emblemáticos, associadas, sempre, a momentos festivos e comemorativos da comunidade. Destacavam-se, neste quadro, na ilha do Pico, as regatas de Nossa Senhora de Lurdes, nas Lajes do Pico, da Calheta de Nesquim e das Ribeiras. Outras regatas com caráter episódico, ocorreram noutras ilhas dos Açores, designadamente no Faial e Terceira, entre outras, sempre associadas a visitas de figuras públicas e de Estado, aos Açores.

A visita Régia, em 1901, à cidade da Horta, foi celebrada com a realização de uma regata de botes baleeiros, fato que atesta a importância destas competições nestes contextos festivos.

Com o fim da atividade baleeira nos Açores, em 1984, as regatas baleeiras ficaram confinadas aos portos picoenses das Lajes, Ribeiras e Calheta de Nesquim. A partir dos finais dos anos 80 a participação estendeu-se à ilha do Faial. Só a partir dos inícios do séc. XXI, no âmbito do projeto de recuperação do património baleeiro – botes e lanchas de reboque – dos Açores, se assiste ao alargamento das regatas por toda Região.

As atuais regatas em botes baleeiros açorianos estão, pois, absolutamente associadas a este movimento crescente de recuperação, revitalização e reutilização do património baleeiro para fins culturais, desportivos, de educação ambiental, lazer e turismo. Assumidas como um atrativo cartaz turístico dos Açores são, hoje, entendidas como património baleeiro regional, como um momento de revisitação da herança histórica local e como espaço de afirmação identitária.

Para além da sua função memorial e documental, as regatas de botes baleeiros são também uma extraordinária manifestação de beleza estética e poética, associadas ao poder encantatório que o mar e os barcos exercem na nossa vida.

Fonte: Património Baleeiro dos Açores – Herança e Modernidade


Ana Cabrita

Teatro Micaelense apresenta "Doutor Jivago"

No âmbito do ciclo "O Filme da Minha Vida", a micaelense Ana Teixeira da Silva apresentará no Teatro Micaelense hoje, dia 19 de junho, o filme "Doutor Jivago" de 1965, de David Lean.
O ciclo de cinema "O Filme da Minha Vida" é uma parceria Teatro Micaelense e 9500 Cineclube.
Em "Doutor Jivago" a nação é a Rússia, um orgulhoso país prostrado de joelhos pela revolução e o homem é Jivago, um talentoso poeta e dedicado cirurgião a quem a guerra não poupou, dividido entre a mulher com quem casou e mulher que não consegue esquecer.
Com base no romance de Boris Pasternak, vencedor do Prémio Nobel, este filme conseguiu Óscares para Melhor Fotografia, Melhor Argumento, Melhor Música Original (que inclui o inesquecível "Lara's Theme"), Melhor Cenografia e Melhor Guarda-Roupa.
A açoriana Ana Teixeira da Silva nasceu em São Miguel, mais propriamente em Ponta Delgada. Licenciou-se em Filologia Germânica na Faculdade de Letras de Lisboa. Foi Presidente do Conselho de Administração do Teatro Micaelense entre 2004 e 2011, os primeiros sete anos do renascimento cultural e artístico deste equipamento público.






Fonte: http://www.acorianooriental.pt/noticia/teatro-micaelense-apresenta-doutor-jivago