Furnas Boutique Hotel já abriu as portas




O Furnas Boutique Hotel Thermal & Spa foi inaugurado no passado dia 27 de março.

 
Nota enviada à comunicação social revela que "após uma profunda remodelação, a unidade sob a gestão da marca DHM - Discovery Hotel Management, abre as portas no próximo dia 27 de março, integrado na rede da reconhecida marca Design Hotels".

 Durante o primeiro mês de atividade o hotel estará aberto em regime de soft opening.




Fonte: http://www.acorianooriental.pt/noticia/furnas-boutique-hotel-abre-portas-a-27-de-marco

Associação diz haver ainda muito a fazer nos Açores a nível do turismo acessível.




O presidente da Associação Regional para a Promoção do Turismo Acessível nos Açores considerou hoje haver ainda 'muito por fazer' para potenciar esse nicho de mercado nas ilhas, embora já existam alguns empreendimentos e negócios devidamente adaptados.
“É óbvio que, na ampla designação, nós não temos capacidade para receber centenas de pessoas no que respeita a esse segmento de mercado, mas já se encontram empreendimentos turísticos (…) que já têm esse cuidado de, pelo menos, poder receber [pessoas com dificuldade de mobilidade ou outro tipo de necessidades especiais]”, afirmou Tiago Valente em declarações à agência Lusa, apontando o caso de alguns restaurantes ou empresas de observação de cetáceos.
A Access Azores, sediada na ilha do Faial, é uma associação sem fins lucrativos criada em 2014 para promover o turismo acessível para todos, tendo sido idealizada no seio das universidades de Coimbra e Aveiro. É constituída por professores, investigadores, alunos e antigos alunos.
Tiago Valente referiu que o turismo acessível para todos é um crescente nicho de mercado em todo o mundo e os Açores devem transformar-se também num destino acessível de excelência, apostando na diferenciação e na não-exclusão de quem tem, por exemplo uma deficiência ou limitações a nível da mobilidade ou de outro tipo.
Segundo explicou o presidente da Access Azores, o turismo acessível para todos “não tem barreiras” e fruto de uma maior consciencialização da população nos Açores, o panorama “está a mudar para melhor” nas ilhas, apesar de “haver ainda muito por fazer”.
De acordo com um estudo que a associação está a realizar nas ilhas do Faial, Pico e São Jorge, para avaliar as condições dos restaurantes, empresas de animação turística e outras ligadas ao setor, já é possível verificar que “há algumas que já tiveram o cuidado de se adaptar para poder receber e prestar um serviço sem descriminar ninguém”, revelou Tiago Valente.
“É óbvio que não estão especializados nessa área ou segmento, mas através de uma pequena alteração na própria embarcação ou num restaurante, retirando uma mesa ou outra, as pessoas podem circular sem qualquer tipo de barreira”, disse Tiago Valente, acrescentando que “em causa estão, por vezes, pequenos investimentos como colocar uma rampa em dois ou três degraus”.
Depois de já ter realizado ações no Faial e Pico, a Acess Azores irá promover na quinta-feira, no auditório da Escola Profissional de São Jorge, uma conferência sobre as oportunidades e desafios do turismo acessível, sendo o painel de oradores convidados constituído por empresários e instituições locais.
“É importante que haja esse primeiro contato com empresários, instituições, associações, entre outras entidades públicas e privadas. Juntar no mesmo espaço todos os que estejam ligados direta ou indiretamente ao setor turístico de forma a dar a conhecer esse potencial do turismo acessível”, afirmou Tiago Valente, acrescentando que o papel da associação é servir de intermediário e promover o enquadramento para que este assunto tenha visibilidade.
Em setembro irá decorrer na ilha Terceira um fórum sobre empreendedorismo acessível, com o objetivo de trazer aos Açores casos de sucesso a nível nacional e internacional para que possam ser aproveitados, adaptados à realidade regional.



Fonte : acorianooriental
http://jourliq.com/associacao-diz-haver-ainda-muito-a-fazer-nos-acores-a-nivel-do-turismo-acessivel-10509.html



Carolina Simas



Marcha da Semana do Mar 2015




 Tal como em anos anteriores, pela Semana do Mar temos a Marcha da mesma, que costuma ser criada e cantada por artistas locais / regionais. Este ano foi criada por Victor Rui Dores e pelo cantor Chico Ávila da ilha de fronte (Pico), na voz deste ultimo.

“Quando a Tinta não Vinha em Tubos”


A oficina de técnicas tradicionais de preparação de pintura "Quando a Tinta não Vinha em Tubos", a realizar a 2 de maio e 6 de junho, será coordenada pela conservadora-restauradora Marta Bretão.

Na mesma serão abordadas técnicas tradicionais de pintura, ao nível da preparação de suportes e materiais, compreendendo duas sessões de trabalho prático.

 As inscrições, limitadas às primeiras 10 pessoas, devem fazer-se através do telefone 295 240 800 ou do mail museu.angra.agenda@azores.gov.pt.



Búzio



 Charonia Lampas, mais conhecido como  Búzio é o maior gastrópode da Europa, sua concha  é de cor esbranquiçada com manchas acastanhadas e pode chegar até 32 cm de comprimento.

Encontram-se em fundos rochosos ou arenosos, desde águas pouco profundas até aos 700 m, alimentam-se essencialmente de equinodermes, estrelas do mar, ou de bivalves.

Este encontra-se em todas as Ilhas dos Açores e a sua espécie não se encontra ameaçada.

Gina Maciel


Á descoberta da Graciosa


Raul Brandão chamou-lhe 'A Ilha Branca'. Como viajante digo que tem um verde diferente das outras oito que com ela formam o arquipélago dos Açores. É tenra, mansa, repousante e simultaneamente desafiante. Esconde segredos como a lenda da Maria Encantada e um vulcão florestado a meio do século passado que nos transporta para uma dimensão sulfurosa e mágica. Obrigatória para projetos de férias de natureza.


GRACIOSA Deve o nome aos colonizadores que assim a batizaram por ser bela e harmoniosa 
A nuvem da Graciosa é pequena. Os habitantes dizem que é a mais seca de todas as ilhas açorianas porque o relevo não abunda. A água doce passa-lhe por cima mas vai cair noutras paragens emprestando um tom esmorecido e "tenro"ao verde da paisagem. As imagens do "verde tenro" e da "nuvem" são da autoria de Raul Brandão, nome maior da literatura portuguesa, que por ali passou há 90 anos a bordo do São Miguel, numa viagem de Lisboa ao Corvo.
As notas dessa viagem estão publicadas em "As Ilhas Desconhecidas". Contam-nos que "todas as ilhas têm uma nuvem sua, uma nuvem própria, independente das outras nuvens e do céu, e com uma vida à parte no universo."

SANTA CRUZ
É aqui que aterra o avião que vem da Terceira ou de São Miguel. A Graciosa é a segunda mais pequena das nove ilhas que formam o arquipélago dos Açores e por isso, porque o tráfego talvez não justifique, não tem ligações diretas ao continente.
Santa Cruz com os seus monumentais reservatórios de água conta a história da secura nos magníficos jardins da praça principal desta vila recheada de casas senhoriais. A praça é tranquila. Assemelha-se a uma pequena vila alentejana no silêncio; quebrado pelo ruído do mar!
Em Santa Cruz, verdadeira capital administrativa da ilha, é obrigatório ver o Museu e a Igreja Matriz. Na verdade, vale a pena entrar em todas as igrejas e quem tiver boas pernas deve subir ao Monte de Ajuda.

A TERRA DOS MOINHOS E DAS QUEIJADAS
Existem em algumas outras ilhas dos Açores mas estes moinhos de cúpula vermelha são uma imagem da Graciosa. Lindos, cuidados, a lembrar o tempo passado em que tudo o que se comia tinha de ser produzido na ilha. Agora a história é outra e Vila da Praia, a terra onde acosta o barco que faz a ligação inter-ilhas, tem uma avenida de moinhos prontos para receberem pessoas (uns para visita, outros para alojamento). E tem também um café "O Ilhéu" onde se provam as magníficas queijadas da Graciosa e outras guloseimas produzidas na fábrica que fica numa rua mais recuada da mesma vila.
Nos tempos que correm as queijadas talvez sejam o produto mais exportado da Graciosa. Mas o ícone mais famoso será sempre o Ilhéu da Praia, defronte da vila, expoente máximo do título de Reserva da Biosfera da Unesco que a ilha (juntamente com o Corvo) conquistou em 2007. Este ilhéu é um paraíso para observadores de aves que terão de tentar contactar os responsáveis locais pelo ambiente ou as agências de viagem locais para lá chegar. Não é fácil, os graciosenses ainda não se aprimoraram na arte de organizar estes passeios para visitantes.

A CAMINHO DA FURNA DA MARIA ENCANTADA
A lenda da Maria Encantada é um bom pretexto para uma vista panorâmica na parte sul da ilha e para aguçar a vontade de conhecer uma lenda local. A furna desta mulher que terá sido das poucas sobreviventes de uma explosão vulcânica é acessível por uma estrada que contorna a parte superior da Caldeira. Quem entrar na furna e a atravessar encontra a deslumbrante imagem de um vulcão gigantesco (cratera com 4,4 km de diâmetro) completamente arborizado. Um cenário mágico para contemplar e desfrutar a caldeira vulcânica de maiores dimensões da Europa.
O plano de arborização foi feito em meados do século passado para contrariar a erosão e a secura. Até aí o interior da caldeira era inóspito. Nada a ver com o ambiente que quase transporta a imaginação do visitante para um bosque dos Alpes Suiço, inundado por espécies exóticas como a Camellia japonica ou a Cryptomeria japonica que tão bem se adaptaram aos Açores.
O interior da caldeira é acessível de carro pela base do vulcão. Atravessa-se o túnel e entra-se noutra dimensão.

A segunda maravilha deste parque natural é a furna do enxofre, uma cavidade em abóbada com 40 metros de altura. São precisas boas pernas e bons sapatos para lá chegar. O acesso é feito pelos 183 degraus de uma torre construída em 1939. No seu interior encontra-se um lago de água fria e uma fumarola com lama, responsável pela libertação de gases, recordando a sua origem vulcânica.
"O chão da Furna do Enxofre, parcialmente coberto por blocos caídos do teto, é inclinado para sudeste e termina num lago de água fria que ocupa a parte mais funda da estrutura", indica a informação do parque.

"As características peculiares da Furna do Enxofre tornam-na num dos pontos turísticos de maior interesse não só da ilha Graciosa, mas de todo o arquipélago dos Açores". Longe vão os tempos em que o príncipe Alberto do Mónaco (que visitou várias ilhas dos Açores no século XIX) foi obrigado a descer por cordas para conhecer a furna e "entrar na conduta principal, ou chaminé, de um vulcão activo" como se lê na informação do parque.

A BANHOS NO CARAPACHO
Há um veio da água sulfurosa da furna que quer caminhar para o mar e desemboca nas piscinas até há pouco naturais do Carapacho, hoje um pouco acimentadas pelo homem. Na Graciosa quase que não existem praias de areia e as piscinas completamente naturais ou um pouco artificializadas são a melhor maneira de ir a banhos.
No Carapacho há uma piscina onde a água do mar se mistura com a água que vem da furna; os locais acreditam nas propriedades terapêuticas da sua água tépida. Imediatamente atrás, num velho balneário termal restaurado, funcionam as termas/spa do Carapacho onde se pode descer aos aquíferos subterrâneos que outrora abasteciam as termas, obrigando um conjunto de trabalhadores a trabalho braçal para o transporte.
As termas do Carapacho funcionam todo o ano e são um local aprazível para hidromassagens e duches vichy. A cheirar a enxofre mas o enxofre cura maleitas de várias espécies.



Texto e imagens adaptado: http://expresso.sapo.pt/todas-as-ilhas-tem-a-sua-nuvem=f917381

Lagoa inaugura feira do livro

O Convento dos Frades, na Lagoa, está novamente em atividade.
Esta é já a sétima edição da Feira do Livro e este ano tem como inspiração Antero de Quental. Está ligada a várias atividades numa parceria com a Escola Secundária da Lagoa.
Com abertura oficial no dia do nascimento de Antero de Quental o poema "As Fadas" inspirou o momento artístico inicial na Ermida do Convento. Depois, no Salão Nobre José Couto dá a conhecer alguns aspetos da vida e obra de Antero de Quental, passando depois à exposição "Antero para além dos sonetos", onde podemos encontrar alguns objetos do seu quotidiano como por exemplo os seus sapatos e ainda obras de Canto da Maia, Domingos Rebelo, Tomaz Borba Vieira, Raposo França, entre outros. Neste local, pode também visitar-se uma coletiva de pintura dos alunos de Vítor Almeida, pintor que desenvolve trabalho letivo na Biblioteca Municipal Tomaz Vieira. No piso superior , poderão encontrar mais de 1500 livros a preços acessíveis, que foram disponibilzados por várias editoras gráficas e outras instituições, daí veio o nome "Abril livros mil".
Nesta feira, realizam-se atividades como a projeção do filme “Anthero – O palácio da Ventura”, palestras e workshops até ao final do mês.
A Feira do Livro poderá ser visitada aos fins de semana e feriados das 14h30 às 22h00 e dias úteis das 14h30 às 18h00.
 
 









Fonte: http://www.rtp.pt/acores/cultura/lagoa-inaugura-feira-do-livro-video_46540 / www.rtp.pt / http://www.jornalacores9.net/cultura/vii-feira-do-livro-na-lagoa-dedicada-a-antero-de-quenta/

Igreja Matriz de Nossa Senhora do Rosário - Vila do Topo


A Igreja Matriz de Nossa Senhora do Rosário está localizada na rua Joaquim Homem da Silveira Noronha, na Vila do Topo, concelho da Calheta, na ilha de São Jorge.

É uma igreja católica construída no séc.XVI e foi restaurada e ampliada durante o séc.XVII, uma vez que devido ao terramoto de 1761, que ficou registado na história como o " Mandado de Deus", deixou a igreja muito danificada.

Na fachada principal possuí um maciço portal, três janelões, dois óculos, um medalhão que representa Nossa Senhora e a torre sineira, que é única, na arquitetura religiosa, da ilha de São Jorge.

No seu interior, esta igreja possuí valiosos elementos de arte religiosa, destacando-se a talha dourada, para as diversas telas, três lampadários em prata e o púlpito que é marcadamente barroco.


Fontes: http://www.igogo.pt/igreja-matriz-do-topo-igreja-de-nossa-senhora-do-rosario/
http://www.geocaching.com/geocache/GC4C4ZW_igreja-matriz-de-nossa-senhora-do-rosario-da-vila?guid=a1e94d
46-f447-49ee-a019-3b6b3c172a37

Elisabete Almeida

Concurso Fotográfico "Mar Bravo"


Num edifício carregado de história - desde a seca do bacalhau passando pela primeira fábrica de extração de óleo de baleia - nasce o Aquário do Porto Pim.

O principal objetivo deste centro ambiental consiste na promoção do conhecimento sobre a biodiversidade do mar dos Açores, sendo a educação e sensibilização ambientais e a recuperação de animais marinhos sensíveis, as principais missões que o Parque Natural do Faial efetua nesta unidade.

O trabalho levado a cabo nesta Estação de Peixes Vivos desperta na comunidade local e visitantes, de todas as idades, uma renovada paixão pelo nosso mar.
Assim, para celebrar a sua importância e beleza intempestiva, nasce o concurso "Mar Bravo".

O Parque Natural pretende que este concurso possibilite estimular e reconhecer a criatividade no âmbito da fotografia revelando novas perspetivas do mar do Faial, sensibilizando a comunidade para as problemáticas a ele relacionadas, através de uma experiência enriquecedora e motivadora à descoberta do gigante azul que envolve e abraça os Açores!

Conheça o Regulamento aqui.

Inscreva-se aqui.

Fonte:

Casa do Arcano recebe workshop sobre chapéus das cavalhadas



A Câmara da Ribeira Grande, em parceria com a cooperativa "A Ponte Norte" e o Centro Regional de Apoio ao Artesanato, promove nos dias 11 e 18 de abril e 9 e 18 de maio próximos o workshop "A arte de enfeitar os chapéus das cavalhadas".
 

A formação que será ministrada por Helena Pimentel decorrerá entre as 14h00 e as 18h00 , na Casa do Arcano, e surge da vontade da autarquia em reforçar os conhecimentos e a originalidade de todos aqueles que anualmente se envolvem na decoração dos chapéus que os cavaleiros usam no desfile das cavalhadas.
O trabalho assentará no uso que pode e deve ser dado aos fios dourados e medalhas e respetiva aplicação nos chapéus, procurando também a autarquia por via deste workshop assegurar a continuidade de uma tradição secular e característica da Ribeira Grande.
Este é um workshop gratuito e aberto à comunidade em geral, podendo os interessados inscrever-se pelo e-mail casadoarcano@cm-ribeiragrande.pt ou pelo telefone 296 470 763.



http://www.acorianooriental.pt/noticia/casa-do-arcano-recebe-workshop-sobre-chapeus-das-cavalhadas

Comemorações de 25 de Abril









Comemorações do 25 de Abril em Angra do Heroísmo.
Comemora-se hoje o 41.º aniversário da Revolução dos Cravos. Para assinalar a efeméride a Câmara Municipal de Angra do Heroísmo propõe um programa cultural dedicado à cultura e tradições locais para condignamente celebrar o dia da liberdade.
Assim, no dia 25, pelas 15h00, terá lugar o desfile de filarmónicas do Concelho, partindo do Alto das Covas com destino à Praça Velha e que conta com a presença das Bandas Filarmónicas do Concelho de Angra do Heroísmo.
Pelas 18h00, no Teatro Angrense, realizar-se-á o lançamento do Livro “ O Improviso - Notas Históricas” da autoria de Liduíno Borba, apresentado por Vítor Rui Dores.
Pelas 21h00, também no Teatro Angrense, terá lugar a atuação da Filarmónica da Terra Chã e do Grupo de Teatro de Folclore “Modas da Nossa Terra”.

Fonte: https://www.facebook.com/A25Abril?fref=ts


Ação de Formação "A Rota dos Fósseis"


A ilha de Santa Maria, de origem vulcânica tal como todas as ilhas dos Açores, distingue-se das restantes por 3 factos principais: ser a mais antiga do arquipélago com cerca de 8 milhões de anos, ser aquelas em que há mais tempo não se registam erupções vulcânicas (há já cerca de 2 milhões de anos) e ser a única ilha com abundantes fósseis marinhos em várias jazidas fossilíferas.

Objetivo principal do Projeto "A Rota dos Fósseis" visa fornecer, de forma sustentável, um aproveitamento turístico da biodiversidade e geodiversidade de Santa Maria delineando, cartografando, caraterizando, salvaguardando e divulgando com informações científicas os vários aspetos paleontológicos da ilha e sua "história" evolutiva.

A ação de formação pretende informar e formar profissionais da área turística, bem como toda a comunidade, para a correta e adequada dinamização das jazidas fósseis de Santa Maria, de modo a obter um benefício económico deste único património natural.

A formação será composta por uma componente teórica, que será ministrada na sala de formação do Complexo Desportivo de Santa Maria, uma saída de mar e uma saída de campo.

Para mais informações e inscrições: parque.natural.stmaria@azores.gov.pt ou 296206790. Inscrições limitadas até 28 de abril.


Fonte: Parque Natural de Santa Maria

Torresmos de Vinha d'Alhos com Inhames




Este é um prato típico dos Açores. Cada um faz como mais gosta, mas os ingredientes principais são a vinha d'alhos (vinho tinto ou branco, alho e pimenta) que é feita aos torresmos de porco, e se é feita dois ou três dias antes, ficam mais saborosos e os Inhames cozidos. Para acompanhar devemos escolher vinho tinto, e se for do Pico ainda melhor. 
No caso deste restaurante os torresmos e os inhames são acompanhados com as "migas" (couves e pão de milho), como se pode verificar na foto.
Se gosta deste prato ou quer experimentar, todas as Quintas-feiras, no Restaurante Vilabelu, em Santa Bárbara, Horta.

Pico Recebe Extensão do Maior Festival de Cinema Ambiental.




A extensão do maior festival de cinema ambiental português, Cine Eco, arrancou esta quarta-feira, no Museu de Cachalotes e Lulas, aliando os recursos da sétima arte a uma fortíssima componente de sensibilização ambiental, em prol da promoção do respeito pela biodiversidade e pelo equilíbrio dos nossos ecossistemas naturais.
Ao longo da extensão do Festival, que terminará a 22 de maio, Dia Mundial da Biodiversidade, serão visionados quatro filmes premiados, em quatro sessões, que terão lugar todos os domingos, pelas 17h00, com entrada gratuita.
A par destas películas, serão ainda exibidas curtas-metragem, “Curtinhas”, destinadas à comunidade escolar, com o intuito de sensibilizar os mais novos para as questões ecológicas.
Consciencializar para a necessidade premente de preservar o nosso singular património ambiental é o objectivo capital da Câmara Municipal da Madalena, que promove esta iniciativa verde, com o fito de alertar para a imperatividade de uma mudança de hábitos crucial para a salvaguarda do meio ambiente e pelo respeito pela biodiversidade e equilíbrio dos ecossistemas naturais.

Fonte: Câmara Municipal da Madalena

Ana Antunes

Sugestões para o Dia da Mãe



Está a aproximar-se o dia da mãe , visite-nos e conheça os produtos que temos disponíveis para uma prenda especial. 

"Ser mãe é fazer da própria vida um grande sacrifício"  Erasmo Shallkytton

Ana Antunes

Festas de São Jorge



Nos dias 23, 24 e 25 de abril, comemora-se as Festas de São Jorge - " Vivências do Passado"
O programa previsto para estes três dias são :

Dia 23 ( Quinta -feira)

10h00- Entronização de novos confrades da Confraria do Queijo de São Jorge.
Local: Salão Nobre dos Paços do Concelho

 11h00-Missa Solene seguida de Procissão em honra do padroeiro São Jorge.
Local: Igreja Matriz das Velas

19h30- Sessão Solene do Dia de São Jorge, com a entrega da Chave de Ouro do Município ao Monsenhor Doutor José Avelino Bettencourt e da Medalha de Prata do Município à Drª Rosa do Céu Batista Pinto.
Local: Salão Nobre dos Paços do Concelho

20h15- Inauguração do Arquivo Histórico Municipal " João Gabriel de Ávila".
Local: Paços do Concelho

20h30- Teatro de Rua com a peça "Voluntatis", organizado pelo Grupo de Teatro da Santa Casa da Mesiricórdia da Vila das Velas.
Local: Jardim da república,Rua Maestro Francisco de Lacerda e Praça Velha 

21h30- Concerto pela Sociedade Filarmónica Recreio Amarense.
Local: Praça Velha


Dia 24 ( Sexta - feira)

09h00- Manhã dedicada às Crianças.
Local: Praça Velha

21h00-Palestra " A universalidade do instrumento ( Orgão), as escolas e a particularidade do Órgão da Igreja Matriz das Velas" por Dinarte Machado.
Local: Igreja Matriz das Velas

21h30- Concerto comemorativo dos 150 anos do Órgão de Tubos da Matriz das Velas.
Local:  Igreja Matriz das Velas

Dia 25 ( Sábado)

15h00- Desfile da Charanga da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários das Velas, Grupo de Foclore da Casa do Povo dos Rosais, Grupo Etnográfico da Beira  e de Carros Alegóricos  com o tema " Vivências do Passado".
Concentração Largo de Santo Antão

21h00- Cantigas ao desafio com os cantadores Bruno Oliveira e João Bettencourt.
Local: Praça Velha 

22h30- Concerto com a banda Jorgense "5 Porcento".
local: Praça Velha


Fonte:https://www.facebook.com/municipiovelas/photos/a.236311009910176.1073741828.236301173244493/354596974748245/?type=1&theater

Gina Maciel

 

Vasco Cordeiro apela a nova oferta cultural nos Açores






O presidente do Governo Regional dos Açores apelou hoje aos agentes culturais, empresários e autarcas das ilhas para trabalharem no sentido de ser desenvolvida uma oferta cultural que vá além "do mero passeio pelas entidades".
 

"O turismo, na sua vertente cultural, cresce por todo o mundo. Não se trata de oferecer apenas entretenimento, mas sobretudo de ampliar o conhecimento e a cultura de quem nos visita", disse Vasco Cordeiro, na cerimónia de inauguração do Arquipélago - Centro de Artes Contemporâneas, na Ribeira Grande, ilha de São Miguel.

"É hora de convocar os agentes culturais de todas as áreas e setores, os empresários e os autarcas das nossas nove ilhas deste arquipélago para que nos ajudem a propiciar este intercâmbio entre culturas diferentes. Quem nos visita vem à procura de novas experiências e ideias, de conhecer pessoas diferentes. É preciso maior esforço do que o mero passeio por entidades culturais, mas realmente induzir o conhecimento, apelando à criatividade e espírito crítico de todos", acrescentou.

Vasco Cordeiro disse que o "movimento cultural" que já existe nosAçores e o "potencial que pode ainda ser explorado" fazem com que a região não seja hoje "apenas um destino de natureza", mas também "um arquipélago de cultura".

"Mas devemos promovê-la ainda melhor. Mostrar a quem nos visita a imensa riqueza que temos, de preservação, requalificação e reconstrução, de monumentos, museus, bibliotecas e núcleos históricos, para além da realização de eventos artísticos, culturais, educativos, informativos ou mesmo em colaboração com outras entidades, como a Universidade dosAçores", afirmou.

Vasco Cordeiro disse esperar que o centro de artes contemporâneas hoje inaugurado projete "uma nova perceção de criação de riqueza e da importância da cultura como projeto humanista, que abarque a dimensão individual e coletiva" de cada um dos açorianos.

"Seja este um projeto da região, mais um, que contribua para o desenvolvimento social, para novas oportunidades eocnómicas, para empresas inovadoras competentes e livres", sublinhou.



Fonte: http://www.acorianooriental.pt/noticia/vasco-cordeiro-apela-a-nova-oferta-cultural-nos-acores


Carolina Simas

Hoje celebra-se o Dia Mundial da Terra, da nossa querida Mãe Gaya, quem tanto negligenciamos. Dada a época em que nos encontramos ser uma época de introspecção e de oração, deixo-vos uma oração dedicada à Mãe Terra. Todos os dias devemos preservar o que de melhor temos em nosso redor, seja consciente, hoje e sempre. 


"Amada Mãe Terra Gaya,

Solo sagrado que nos acolhe, 
louvamos e agradecemos por toda a vida gerada em todos os vossos reinos. 

Hoje, depois de tantos ciclos, depois de tanto tempo...
Percebemos e sabemos o tamanho de vossa beleza,
a sacralidade de vossa pureza, 
a magnitude de vossa grandeza;
a divindade de vossa natureza.

Nutridos e acolhidos em vosso amor divino,
Sabemos a simplicidade de nosso destino.

Perdoa-nos por todas as vezes que esquecemos a magnitude de vossa existência,
Por todas as vezes que deixamos de protegê-la, negando a tão sagrada consciência.

Terra sagrada das quatro estações, das oito visões, dos ciclos divinos que ensinam as grandes liçoes... 
o tempo de semear, de cultivar, de crescer, de nutrir, de colher... 
o tempo de mudar, de trocar, de partilhar, de deixar ir, de contemplar...
o tempo de ser, de viver, de saber; de morrer...

Terra sagrada dos ciclos da vida, Grande Mãe, tão amada e querida, Vos louvamos, vos agradecemos, Vos abençoamos e à vós prometemos:

Que vosso fogo incendeie nosso espirito;
Que vossas águas renovem nossos corações;
Que vossos ares libertem nossas mentes;
Que vossas terras nutram nossos corpos;
E assim seremos UM com vossa Presença!!!

E assim, sua alma será para sempre sentida e vivida dentro de nós, 
E em unidade, honraremos a sabedoria e a vida que existe em Tudo. Na Terra, como no ceu! 

Amem."
de Sarah Tamar 

Amélia Borges 

Freguesias do Norte de São Miguel expostas no aeroporto de Ponta Delgada

Podemos encontrar estes retratos do Norte, numa exposição internacional de fotografia. Foram mobilizados os variados fotógrafos amadores pela Associação "Norte Crescente" a visitar as oito freguesias da costa norte da ilha de São Miguel.
De milhares de fotografias, 500 foram escolhidas e valorizadas como as que melhor retratam a vida e as potencialidades de cada uma destas oito freguesias, para além da componente artística. Estas fotografias mostram-nos rostos marcados por uma vida de trabalho, acusado pelos olhares e pelas memórias das tradições.
"Com esta exposição nós podemos mostrar as potencialidades das oito freguesias da costa norte, mostrar aos açorianos e a quem nos visita o nosso património material, imaterial e natural(...)", diz Mário Miranda da Associação "Norte Crescente".
A vida rural é a imagem que mais destaca esta exposição que vai percorrer o mundo desde a Europa até à América.
De momento, os retratos do norte irão ficar por cá, no aeroporto de Ponta Delgada até ao dia 30 de Abril, para possibilitar que quem nos deixa e quem nos visita possa também apreciar estas tão ricas memórias açorianas.







Fonte: www.rtp.pt / http://www.rtp.pt/acores/cultura/freguesias-do-norte-de-sao-miguel-expostas-no-aeroporto-de-ponta-delgada-video_46522

Jantar Solidário com Cabo Verde - Ilha do Fogo


No próximo dia 24 de Abril, pelas 20h00 realizar-se-á um jantar intitulado " Jantar Solidário com Cabo Verde - Ilha do Fogo", organizado pelo Parque Natural do Faial.

Este jantar terá lugar no Pavilhão das Angústias, ao lado da Igreja, na ilha do Faial.

Será uma noite Cabo-verdiana com jantar e música ao vivo na voz de Jaime Goth e Alexandre Gaudino.

Para apoiar esta campanha solidária basta comprar o seu bilhete pelo custo de 7.50€, valor este que reverterá a favor dos desalojados do Vulcão do Fogo.

Encontrará bilhetes à venda nos seguintes pontos: Peter Café Sport, Papelaria O Telegrapho, Casa dos Dabney e Bico Doce 1 e 2.

Seja solidário e apoie esta causa!


Fonte:https://www.facebook.com/Azoresgeopark/photos/a.323905510974180.82351.320586117972786/943
093165722075/?type=1&theater

Elisabete Almeida






 


Hamburgueria do Teatro

©Hamburgueria do Teatro



Hamburgueria do Teatro é um restaurante aberto recentemente na cidade de Angra do Heroísmo. Com uma sala com capacidade para 37 pessoas, este restaurante tenta ser distinguido por servir Hamburgueres e Crepes de uma forma diferente e inovadora, tendo sempre uma vertente açoriana em cada um dos pratos a servir.


Renata Borges é sócia/ gerente e disponibilizou-se para nos dar a entrevista, revelando alguns segredos para o sucesso que tem sido o restaurante.

1. Qual o conceito principal do restaurante?
R: Somos uma hamburgueria gourmet que tem comi objectivo servir os nossos pratos com os nossos produtos açorianos como por exemplo a nossa hamburguer da casa que tem a famosa morcela dos Açores. Também é importante refirer que servimos um prato do dia durante a semana quem tem como nome "Filme da Semana".

2. Pretendem distinguir-se como sendo uma hamburgueria gourmet?. Acham que este tipo de restaurante era uma lacuna que existia na cidade ou mesmo na ilha?
R: Sim claro, este conceito é muito utilizado tanto em Portugal Continental como em outros Países, por isso é um conceito que se encontra em falta nos Açores. Sendo os Açores uma região rica em materia prima para a restauração, porque não fazermos as nossas Hamburgueres com esta mesma materia prima.

3. Qual tem sido o feedback dos clientes?
R: Tem sido um feedback muito positivo desde a abertura da Hamburgueria, sendo este um objectivo da inauguração.

4. Como é caracterizada a vossa ementa? Está totalmente definida ou ainda está em fase de construção?
R: A nossa ementa já está definida. Porém todos os meses temos uma Hamburguer Especial. A nossa ementa é caracterizada pela grande variedade de produtos como a variedade de carnes a escolher pelo nosso cliente.


©Hamburgueria do Teatro


5. Qual o prato que acha que, até ao momento, tem tido mais saída?
R: Sem dúvida que a Especial e a da casa. São Hamburgueres com muita saida, mas também tem muita procura a hamburguer com queijo picante da ilha e a de frango com bacon e cogumelos.

6. Têm alguma(s) especialidade(s) do chef que mereça destaque?
R: Sim temos, como já referido temos a nossa Hamburguer Especial do Mês, e a Hamburguer da Casa que é de Morcela.

7. Quais as perspectivas para o futuro do restaurante?
R: Continuar a evoluir este novo conceito na ilha que prima pela diversidade e manter os nossos clientes com um sorriso na cara ao comer as nossas Hamburguerers.

©Hamburgueria do Teatro



Contactos Hamburgueria do Teatro:
Morada: Rua da Esperança n°20, Angra do Heroísmo
Telefone: 295 218 019
Website: página do facebook - Hamburgueria do Teatro

Muito obrigada à Renata Borges e a toda a equipa da Hamburgueria do Teatro.


©Hamburgueria do Teatro


Sara Luís