Fábio Mendes e Ruben Henriques em concerto na Matriz de São Mateus

No próximo dia 4 de Setembro, às 21h30, na Matriz de São Mateus, a Direção Regional da Cultura promove o concerto "Tubos que Cantam". no âmbito da Temporada Artística 2016. 

Rúben Henriques, na flauta, e Fábio Mendes, no Órgão, propõem uma viagem aos esplendores do barroco musical de setecentos, na qual o ouvinte é convidado a viajar por diferentes cortes europeias - Alemanha, Inglaterra e Espanha. 


Poder-se-ão escutar as várias feições que o barroco musical encarnou em cada uma: com Telemann e Bach, a racionalidade, a introspeção; com John Stanley, a austeridade, a leveza; com Juan Sesé, a jovialidade, o fulgor.




Fonte: http://www.rtp.pt/acores/graciosa-online/tubos-que-cantam-cartaz_51160

Erva-leiteira

A Erva-leiteira ou trovisco, cujo nome científico é Euphorbia azorica Seub e pertence à família euphorbiaceae, é uma planta endémica dos Açores e, podemos encontrá-la em todas as ilhas do arquipélago.
É uma herbácea baixa, com muitas folhas lanceoladas e estreitas e as suas flores são amarelo-esverdeadas. Esta planta dá flor entre os meses de Abril e Julho.
Esta planta está limitada a uma estreita faixa costeira e é muito raro crescer acima dos 100 metros. Reside em habitats fortemente expostos, principalmente à brisa marítima, geralmente falésias e raramente areia ou depósitos de pedra. Existe em diversos locais sendo algumas dessas populações grandes.
 
Erva-leiteira
  
 
 
 
Fonte: http://siaram.azores.gov.pt/flora/flora-vascular/erva-leiteira/1.html
Patrícia Machado

 
         

"Casa dos Sofias"


Antigo forno da casa
A “Casa dos Sofias” é um centro de exposições com uma mostra permanente de trabalho em osso e marfim de baleia.

Denomina-se assim porque a antiga dona da casa chamava-se Sofia, o nome Sofias tornou-se um apelido popular, devido ao fato dos locais ao falarem de algum membro da família diziam sempre no fim “da Sofia”, por exemplo a um dos filhos chamavam o “António da Sofia” e aos restantes irmãos sucedeu-se a mesma situação ficando a família apelidada de “os Sofias”. Alguns membros desta família trabalharam na indústria baleeira em cargos de operário, marinheiro e trancador/arpoador. 



Para além do osso e do marfim, também se pode observar alguns trabalhos em madeira, equipamentos de comunicação das vigias e embarcações usados durante a pesca da baleia.

Maxilar inferior de cachalote
 

Andreia Goulart

Orquestra Regional Lira Açoriana



A Direção Regional da Cultura promove um concerto interpretado pela Orquestra Regional Lira Açoriana no âmbito da Temporada Artística 2016.
Este será o segundo e último estágio do Projeto Lira Açoriana, que decorre sob a orientação do Maestro Henrique Piloto. Dando continuidade ao relevante trabalho já realizado, esta iniciativa, que culmina no presente concerto, permite o contacto entre os instrumentistas da orquestra e formadores credenciados, contribuindo assim para o aperfeiçoamento
técnico e para uma maior expressividade artística dos jovens músicos participantes.



Fonte: http://www.culturacores.azores.gov.pt/agenda/?id=10074


Mónica Martins

E caíram nas mãos gotas daquela alma - Temporada Artística 2016

A Direção Regional da Cultura promove o espetáculo "E caíram nas mãos gotas daquela alma", no âmbito da Temporada Artística 2016.
O espetáculo pelo "37.25 - Núcleo de Artes Performativas" será apresentado no Centro Cultural da Ilha Graciosa no dia 28 de agosto, às 21h30. 
O tema deste espetáculo é a busca do eu interior, da individualidade e da alma, que as três intérpretes no palco dramatizam. Trata-se da estreia do bailarino Tiago Correia enquanto coreógrafo, que pretende assim apresentar o seu trabalho como artista, através dos outros, e numa linguagem estética e dramatúrgica acessível a todos.






Percursos do Artesanato dos Açores





Carolina Melo e Simas

Novas áreas de reserva à pesca no canal Pico-Faial vão ter monitorização científica






O Secretário Regional do Mar, Ciência e Tecnologia afirmou hoje, na Horta, que a criação e gestão de áreas marinhas protegidas é um "objetivo central” do Governo dos Açores para o setor das pescas, salientando que a primeira medida do Eixo I do documento estratégico ‘Melhor Pesca, Mais Rendimento’ é, precisamente, a criação e gestão de áreas marinhas protegidas.

Fausto Brito e Abreu falava na assinatura de um protocolo para a monitorização científica das áreas de restrição à pesca em redor do Faial e do Pico, no seguimento da publicação, a 21 de junho, de uma portaria que estabeleceu regras específicas para o exercício da pesca nas áreas marinhas destas ilhas, nomeadamente nas áreas do Monte da Guia, ilhéus da Madalena e Baixa da Barca.

Através deste protocolo, assinado pelas direções regionais das Pescas e dos Assuntos do Mar, IMAR, Associação de Produtores de Espécies Demersais dos Açores (APEDA) e Associação de Armadores de Pesca Artesanal da Ilha do Pico (AAPAP), serão disponibilizados anualmente relatórios sobre a evolução do estado dos recursos marinhos naquelas áreas, que serão partilhados com as associações de pescadores, que farão o acompanhamento de todo o processo.

Brito e Abreu frisou que “foi a APEDA que, durante o processo de consulta pública sobre esta portaria, recomendou a monitorização científica do efeito destas áreas protegidas nos 'stocks' pesqueiros e ecossistemas marinhos”.

O Secretário Regional defendeu que, “se estas áreas foram bem geridas, todos têm a ganhar”, sustentando que “será importante para a pesca profissional, para a pesca lúdica, para a ciência e ainda para o turismo, em particular para os operadores marítimo turísticos”.

“Tudo faremos para que a operacionalização destes espaços traga um benefício líquido para o setor da pesca, que é ainda hoje na nossa Região a mais importante atividade económica que decorre no mar”, assegurou Brito e Abreu, referindo-se à fiscalização e à "sensibilização das pessoas que usam estas áreas”.

Para além das três novas áreas de restrição à pesca no canal Pico-Faial, este ano foram também criadas três novas áreas na Graciosa, designadamente na Baixa do Ferreiro, no Ilhéu da Praia e no Ilhéu de Baixo, e uma área em São Miguel, na Ribeira Quente.

No total, foram estabelecidas sete novas áreas de restrição à pesca nos Açores, adicionando assim mais 7.512 hectares à área dedicada à conservação dos recursos pesqueiros na Região.

A criação destas novas áreas resultou de um processo de participação ativa em que estiveram envolvidos dois serviços da administração regional, nomeadamente as direções regionais das Pescas e dos Assuntos do Mar, investigadores do Departamento de Oceanografia e Pescas da Universidade dos Açores, bem como as associações que representam o setor das pescas nas respetivas ilha.

Fonte: http://www.azores.gov.pt/Portal/pt

Ana Cabrita



Açorianos que construíram barco para chegar à América naturalizados graças a Kennedy

Dois açorianos construíram há 65 atrás anos um barco para emigrar para os Estados Unidos da América, conseguindo adquirir a cidadania deste país com a ajuda de John F. Kennedy, que viria a tornar-se presidente.
"John F. Kennedy tinha-se empenhado na construção da igreja portuguesa de Cambridge e promoveu uma grande festa para assinalar o aniversário da instituição, num dos maiores hotéis de Boston, onde também estive presente e lhe fui apresentado", disse à agência Lusa Vítor Manuel Caetano (senhor na foto), de 91 anos, o único sobrevivente desta aventura.
Sr. Vítor Manuel Caetano
 
Evaristo Gaspar, já falecido, e Vítor Caetano, saíram de Ponta Delgada, na ilha de São Miguel, a 28 de junho de 1951 e chegaram a 23 de agosto aos Estados Unidos, onde foram acolhidos como heróis, depois de terem sido dados como mortos.
Os dois foram recolhidos ao largo das ilhas Bermudas por um navio, quando a sua embarcação se encontrava à deriva e estavam sem alimentos há cerca de uma semana.
Vítor Caetano, que tinha 26 anos, declarou que quando se encontrou com John F. Kennedy este encontrava-se de muletas na sequência de uma cirurgia à coluna, da qual "muito se queixava".
Segundo o açoriano, John F. Kennedy, à data congressista pelo estado de Massachusetts, ficou fascinado com a sua aventura marítima e assegurou-lhe que iria empenhar-se na sua legalização para ficarem no país.
"Ele ficou admirado com a nossa história. Ele próprio contou-me como ficou ferido durante a II Guerra Mundial, num barco de patrulha. Todos os anos, graças a JFK, eu renovava os meus documentos e, quando faltavam sete dias para os cinco anos (período necessário para obter a cidadania), tornei-me cidadão americano", declarou Vítor Caetano, recordando que o congressista "mandava sempre cumprimentos" por via de um português que trabalhava numa das residências do clã Kennedy na Nova Inglaterra.
Quando o político de origem irlandesa chegou à presidência dos EUA, Vítor Caetano enviou-lhe uma carta a dar os parabéns "por ser presidente de um grande país como a América", tendo este retribuído com um agradecimento.
John F. Kennedy, cuja relação com a comunidade de emigrantes açorianos na costa leste dos Estados Unidos é conhecida, foi um dos responsáveis pelo 'Azorean Refugee Act', em 1958, a par de outro senador, John Pastore.
Esta foi uma legislação aprovada pelo Congresso dos Estados Unidos que permitiu às vítimas do vulcão dos Capelinhos, ocorrido na ilha do Faial em 1957, emigrarem para os Estados Unidos.
Vítor Caetano teve de abandonar o seu barco quando foi recolhido pelo navio, mas não antes de retirar de bordo os seus pertences mais importantes: a bandeira portuguesa, uma imagem da Virgem de Fátima e outra de São José, nome com que foi batizada a embarcação.
A aventura destes dois açorianos inspirou uma obra de ficção do escritor Manuel Ferreira, intitulada "O barco e o sonho", que foi adaptada para televisão.






Fonte:http://www.acorianooriental.pt/noticia/acorianos-que-construiram-barco-para-chegar-a-america-naturalizados-gracas-a-Kennedy
 
Patrícia Machado

Guia Turístico do concelho das Lajes das Flores












A Câmara Municipal das Lajes acaba de lançar um novo guia turístico do concelho das Lajes das Flores.
A elaboração deste guia tem como principal objetivo a divulgação de informação relevante acerca do concelho, nomeadamente a história, os monumentos religiosos, bibliotecas, museus e pólos museológicos a visitar, inclui informações sobre a cultura, o património natural, as festas do concelho, disponibiliza detalhes sobre o mar e as zonas balneares, sobre os pontos de interesse do concelho, as atividades que se podem desenvolver como o canyoning, o bird watching, os trilhos, circuitos e passeios pedestres, e contempla ainda informações uteis, nomeadamente sobre as unidades de alojamento, de restauração e merendários do concelho.

Com a elaboração deste Guia, o Municipio procurou dotar o Municipio de mais uma ferramenta que complemente o trabalho que tem vindo a ser efetuado nesta área, neste caso ao disponibilizar a quem nos visita informação detalhada sobre o Concelho, nomeadamente nas unidades e espaços que o Municipio disponibiliza.
Fonte: www.cmlajesdasflores.pt

Silvia Vieira

Rota dos geosítios na Graciosa

   O Parque Natural da Graciosa promove uma saída de campo direccionada a turistas com vista a proporcionar o contato direto com os geossítios. 
  Esta iniciativa denominada “Rota dos Geossítios da Graciosa” realiza-se no dia 24 de agosto, a partir das 10 horas, com saída do Hotel Graciosa Resort. 
    Os participantes ficarão também a conhecer o trabalho do Geoparque Açores sobre o património natural geológico da ilha Graciosa. 
   Na Graciosa estão identificados 5 geossítios de interesse científico, pedagógico e turístico: Ponta da Barca e Ilhéu da Baleia; Porto Afonso; Caldeirinha de Pêro Botelho; Caldeira e Furna do Enxofre; e Ponta do Carapacho, Ponta da Restinga e Ilhéu de Baixo.



Fonte: http://www.rtp.pt/acores/graciosa-online/rota-dos-geossitios-cartaz-_51049

Living Traditions @ São Roque do Pico


Município de São Roque do Pico

O "Living Traditions" é um programa de visitas guiadas a pontos de interesse cultural criado para que conheça as nossas tradições pela voz de quem as sabe: Artesanato, construção naval tradicional, gastronomia regional, queijo do pico (DOP), vinha e vinhos.

 Estas atividades acontecem até Novembro de 2016, de segunda a sexta-feira, a partir das 10h30, todas as visitas são gratuitas, bastando apenas fazer uma reserva através dos seguintes contactos:


Curato de Nossa Senhora da Esperança

O Curato de Nossa Senhora da Esperança foi o primeiro a ser fundado na Paróquia de Nossa Senhora de Guadalupe, por volta do ano 1738.  
A primeira ermida deste curato foi construída por Mateus Nunes no lugar da Esperança Velha, que já existia no ano de 1632, mas era pequena e situava-se fora do centro do povoado. 
A construção da atual Igreja da Senhora da Esperança ocorreu em 1847, estando o local da antiga ermida assinalado com um cruzeiro. 
O templo foi reconstruido em 1898 e voltou a receber obras de restauro em 1967 e em 2004, quando era pároco deste curato o Padre José Simões Borges (1928-2013). 
Mede 14,60 metros da porta ao arco da capela, por 6,85 de largura e apresenta uma torre com grimpa em forma de pirâmide. 
A imagem primitiva da ermida da Esperança Velha ainda existe, sendo a imagem contemporânea do inicio século XX, oferecida por um grupo de graciosenses residentes na Bahia, Brasil, em 1906.




Fonte: http://www.rtp.pt/acores/graciosa-online/curiosidades-da-festa_51027

Workshop de Pintura




No dia 20 de agosto, haverá um Workshop de pintura com o artista Pieter Adrians, no Auditório Municipal de Velas na Galeria Espaço +, sita na Avenida da Conceição em Velas na ilha de São Jorge.

Faça já a sua inscrição gratuitamente através do número 295 412 214.

As inscrições são limitadas até 15 pessoas.

Fonte:https://www.facebook.com/municipiovelas/photos/a.236311009910176.1073741828.236301173244493/516945945180013/?type=3&theater

Gina Maciel

Semana dos Baleeiros 2016











Exposição de fotografia no Museu dos Baleeiros

O Instituto Açoriano de Cultura, em parceria com o Museu do Pico, apresenta na terça-feira, dia 23 de agosto, às 21:30, a exposição de fotografia "O Mundo é a minha Ilha", do autor Hugo Machado.
"As fotografias em exposição foram recolhidas pelo autor no decurso de inúmeras viagens que tem realizado ao longo dos anos”, informa a organização.
A mostra, composta por 20 fotogramas, estará aberta ao público no Museu dos Baleeiros, nas Lajes do Pico, até ao próximo dia 31 de Outubro.

Museu dos Baleeiros






Fonte: http://www.acorianooriental.pt/noticia/exposicao-de-fotografia-a-partir-de-dia-23

Patrícia Machado

Folk Azores - Festival Internacional de Folclore



7 a 14 de agosto - O Festival Internacional de Folclore dos Açores realiza-se anualmente e conta com a participação de grupos oriundos de diversos países, onde é possível observarem-se espetáculos de dança e música ao vivo, mostras de artesanato, e muito mais!


Para ver o programa completo, com o nome dos participantes, aceda: http://www.cofit.org/festival/


Por toda a ilha Terceira. 


Fajã Sunset 20 Agosto 2016










Fajã Sunset dia 20 de Agosto (Sábado) com Nísia & Adriano para nos dar boa musica ao vivo em versão Acústica de grandes temos que todos nós conhecemos. 
Sendo assim o programa para dia 20 de Agosto é o seguinte:
15h00 com musica ambiente (House, Deep house)
21h00/21:30 - Live Music - Nísia & Adriano 
00h00 - Party com os DJ's Mois3s , New house e Tigue

Local do Evento :Marginal da Fajã Grande, Ilha das Flores





Fonte: Fajã Sunset 2016
Silvia Vieira










Aplicação Parques Naturais dos Açores




Parques Naturais dos Açores/Azores Natural Parks

Aplicação Móvel “Parques Naturais dos Açores” / “Azores Natural Parks” Mobile Application


A aplicação Parques Naturais dos Açores é o auxiliar ideal para visitar as nove ilhas dos Açores e ficar a conhecer o seu vasto tesouro natural. Faça download de cada Parque e navegue pelos conteúdos disponíveis, tirando o máximo proveito da biodiversidade e geodiversidade de cada ilha. Percorra os trilhos pedestres, conheça a fauna e flora local, partilhe fotos, siga as sugestões de visita, obtenha informações sobre parceiros, tudo isto e muito mais... sem necessidade de ter uma ligação à internet.

Principais funcionalidades:
* Informação sobre pontos de interesse, incluindo áreas protegidas, centros ambientais, trilhos pedestres, sugestões de visita e parceiros locais;
* Informação sobre recursos naturais, incluindo flora, fauna e geologia;
* Todos os conteúdos e mapas disponíveis offline;
* Navegação por GPS e obtenção de direções;
* Informação disponível em português e inglês.

The Azores Natural Parks application is the ideal auxiliary to visit the nine islands of the Azores and to know its vast natural treasure. Download each Park and browse the available content, getting the maximum benefit of biodiversity and geodiversity of each island. Scroll through the walking trails, learn about the local fauna and flora, share photos, follow the visit suggestions, get information about partners, all this and more... with no need to have an internet connection. 

Main functionalities:
* Information about points of interest, including protected areas, environmental centres, walking trails, visit suggestions and local partners;
* Information about natural resources, including flora, fauna and geology;
* All content and maps available offline;
* GPS navigation and obtaining directions;
* Information available in Portuguese and English.


Fonte:https://www.facebook.com/Parques-Naturais

Ana Cabrita

Portugal in 150 Seconds - Ilha do Corvo, Açores (2016)


Ilha do Corvo - Açores



Fonte: https://www.youtube.com/watch?v=NUFmwavvPcI
https://www.facebook.com/PortugalIn150Seconds/?pnref=story

Festa da Poça 2016


Local - Poça Branca, Freguesia da Prainha, São Roque do Pico





https://www.facebook.com/festadapoca/?fref=ts

Carolina Melo e Simas



A arca de trigo que o fogo poupou



Há muitos anos atrás, João Machado Valadão, que morava na Vila das Velas, tinha ficado como mordomo de Espírito Santo para o ano seguinte. Guardava com muito respeito em sua casa, numa arca fechada à chave, a coroa e o estandarte e ainda um moio de trigo em sacos para o pão da coroação. 

 No mês de Setembro, como castigo pelos desacatos que muitas pessoas cometiam e para lhes animar a fé, pegou fogo na casa do dito homem. O fogo foi-se ateando com tal força que não houve água nem braços suficientes para o apagar. 

 Todos os que podiam andar juntaram-se para ajudar João Valadão, mas estavam impotentes. O calor e o barulho eram insuportáveis. Telhas, pedras, madeira saltavam e estalavam por todo o lado. As labaredas iam engordando à medida que queimavam as traves, os trens de casa, a roupa. 

 Chorosos, lamentavam-se e assistiam à fúria do fogo que queimava tudo o que encontrava à sua frente. Ficaram, porém, muito espantados, quando as chamas investiram contra a arca e os sacos de trigo guardados para o Espírito Santo e recuaram sem lhes causar qualquer dano. 

 Por fim o fogo foi-se extinguindo e da casa apenas restava um monte de cinza e pedras. Quando o calor diminuiu, começaram a esgravatar nos escombros com pouca esperança de que encontrassem alguma coisa a salvo. 

 Mas muitos louvores deram ao Espírito Santo, ao verem, no meio das cinzas, a arca com a coroa e o estandarte do Espírito Santo e os sacos de trigo em perfeito estado. 

 A fé no Espírito Santo tornou-se mais forte e as suas festas foram feitas com muita dedicação.

Fontes:http://www.lendarium.org/narrative/a-arca-de-trigo-que-o-fogo-poupou/
 http://historiadosacores.tumblr.com/post/86061882201/1939-vila-das-velas-ilha-de-s%C3%A3o-jorge-vista

Gina Maciel 

Museu do Pico inaugura exposição "Domingos Epifânio - Moageiro do Pico"

O Museu do Pico inaugura hoje, dia 11 de agosto, pelas 21h30, no Museu dos Baleeiros, nas Lajes do Pico, a exposição fotográfica e documental "Domingos Epifânio - Moageiro do Pico", que homenageia o último e emblemático moageiro desta ilha.
Segundo nota do GACS, a exposição pretende identificar, levantar e estudar uma atividade que se insere nas dinâmicas de salvaguarda do património cultural imaterial dos Açores, no âmbito das quais o Museu do Pico tem vindo a fortalecer trabalhos nas temáticas da construção naval, rendas e cestaria/vimes, entre outras.
"Domingos Epifânio – Moageiro do Pico" é um exercício de revisitação patrimonial sobre a nostalgia e o romantismo de uma forma de viver que está a chegar irreversivelmente ao fim, sobre uma história de vida associada ao ciclo do grão e da farinha, com vista à preservação e divulgação dos saberes associados à moagem mecânica na ilha do Pico.
Domingos Belém Baptista, agricultor, pastor, maquinista, motorista, mecânico, vinhateiro, fruticultor, moleiro e moageiro, entre outras atividades, é a expressão da natureza da ilha.
Desconcertante, independente, dotado de uma elevada inteligência e de um apurado sentido crítico, Domingos Belém Baptista é uma personalidade e uma figura local apaixonante e arrebatadora, além de um extraordinário contador de histórias, zelando pela guarda de memórias que, em permanente desassossego, vai reinventando.
Com 88 anos de idade, continua a picar a pedra, a baldear o grão e a temperar a farinha.
Na inauguração da exposição será apresentado um filme do realizador André Laranjinha sobre o homenageado, descendente de duas gerações de moleiros e moageiros da ilha do Pico.
A exposição estará aberta ao público até ao dia 30 de outubro, podendo ser visitada de terça-feira a domingo, das 10H00 às 17H30.
 
 
 
 
 
 
 
Fonte:http://www.acorianooriental.pt/noticia/museu-do-pico-inaugura-exposicao-domingos-epifanio-moageiro-do-pico
 
Patrícia Machado

Affetti Amorosi - Temporada Artística


A Direção Regional da Cultura promove o concerto "Affetti Amorosi" no âmbito da Temporada Artística 2016.
Tomando o seu nome a partir de um livro de canções de amor, compilado em 1621, por Giovanni Stefani, o presente concerto reúne algumas peças para canto e instrumentos de corda dedilhada, de autores do renascimento e do barroco, que pretendem expressar os afetos humanos.
Sandra Medeiros | Soprano;
Helena Raposo | Alaúde, guitarra barroca e teorba;
Carmina Repas Gonçalves | Viola da Gamba
“FOLHA DE SALA”, disponível para consulta (infra).
*entrada livre

Fonte: http://www.culturacores.azores.gov.pt/agenda/?id=10076
Mónica Martins

Os Peixes do Guardião



De uma vez estavam os frades comendo no refeitório e coube a um deles um peixe muito pequenino. Este então reparou e viu que no prato do guardião estava um muito grande e que comia à boca cheia. O frade era ladino e para se vingar do jejum a que o obrigavam abaixou a cabeça sobre o seu peixinho que tinha no prato e começou a nomear, como quem estava a conversar em segredo. O guardião reparou nisto e pergunta de lá da cabeceira da mesa:
                -Ó irmão, Frei Fulano, então o que é isto que está fazendo?
                -Reverendo padre mestre, estava perguntando a este peixinho se alguma vez teria encontrado meu pai que morreu afogado no mar. Mas este respondeu-me que como é muito pequenino não soube disso e quem o poderá saber é o peixe que está no prato de vossa reverência que é muito grande e pode bem dar fé de tudo.

Vocabulário:
Nomear – faze monos ou momices; mimicar
[Ilha de S. Miguel]

Fonte:” Contos Tradicionais Açorianos” – Anabela Mimoso


Ana Cabrita

Festival dos Moinhos

Integrado nas grandes festividades em honra de Nossa Senhora dos Milagres (15 de Agosto) conta com um vasto programa musical, que vai de artistas e conjuntos nacionais, como internacionais, em especial dos países de língua oficial portuguesa. 

Este ano, os artistas convidados são:

12 de 
Agosto – Banda.com e a Tripla Mete Cá Sets.
13 de Agosto – Ágata, Banda.com e DJ Kueka.
14 de Agosto – UHF, K7 Pirata e DJ Play.







Fonte: http://agenda.acores2016.pt/religioso.html#ago

Selo alusivo à Ilha do Corvo







Em 17 de Setembro de 1980 foi lançado este selo alusivo à Ilha do Corvo.
Descrição: Selo dos Correios e Telecomunicações de Portugal alusivo à Vila do Corvo, lançado durante a Conferência Mundial de Turismo







Fonte: Ilha do Corvo - Passado - Presente - Futuro
Silvia Vieira