Baile de Carnaval e Matiné - São Roque do Pico

Matiné a partir das 15h30 dia 7 de fevereiro com baile pela noite dentro!



Local: Sociedade União Artista de São Roque do Pico.

Fonte: https://www.facebook.com/groups/207158009393319/?fref=ts

Biblioteca Pública de Ponta Delgada promove "Histórias Requinhas ao Sábado"

A Direção Regional da Cultura vai dar seguimento à actividade denominada "Histórias Requinhas ao Sábado", hoje, dia 30 de Janeiro e, ainda nos dias 20 de Fevereiro, 12 de Março, 16 de Abril, 28 de maio e 18 de Junho, pelas 16h00, na Sala de Leitura Infantil, em Ponta Delgada, na ilha de São Miguel.
Esta iniciativa acontecerá no âmbito das atividades de Promoção do Livro e da Leitura e em parceria com o grupo de contadoras “Histórias Requinhas”.
O grupo de contadoras “Histórias Requinhas” nasceu em 2011 e deseja estimular o gosto pelo livro e pela leitura de forma lúdica e atrativa.
Durante aproximadamente 60 minutos, três a quatro contadoras levam pais e filhos a viajar pelo mundo maravilhoso dos livros, onde a imaginação não tem limites.
Venha participar!







Fonte: http://www.acorianooriental.pt/noticia/biblioteca-publica-de-ponta-delgada-promove-historias-requinhas-ao-sabado

Chá na Montanha.








Apresentação dos Livros "Montanhas" de Madalena Matoso e "Passo a Passo" de Pedro Cuiça. Leitura de excertos do livro de Adolfo Leopoldo. Demonstração de "danza contemporánea", de Catalina Lescano.

Local: Casa da Montanha
Organização: Mirateca Arts
Parceria: Geoparque Açores
Hora: 15h
Entrada: Gratuita

Para mais informações: 

SEDE DO PARQUE
R. do Lajido, Santa Luzia ; 9940-108 S. Roque do Pico
E-mail: parque.natural.pico@azores.gov.pt
Tlf: 292 207 375

CASA DA MONTANHA
Caminho Florestal, nº. 9 Candelária - Madalena
E-mail: pnpico.casadamontanha@azores.gov.pt
Tlf: 967 303 519











http://issuu.com/parquesnaturaisacores/docs/parque_aberto_-_agenda_ambiental_20_f9003179ecc3f1

Carolina Simas

Carnaval no Teatro Angrense


Garanta o seu lugar no Carnaval da Terceira, no Teatro Angrense. 
Os bilhetes tem o valor de 5€ por dia e apenas é permitida a entrada de crianças a partir dos 3 anos. Os bilhetes podem ser adquiridos online no site www.cmah.pt, na bilheteira do Centro Cultural e de Congressos no seu horário normal de funcionamento e na bilheteira do Teatro Angrense que abre do dia 6 ao dia 9 de Fevereiro das 17h00 às 22h30. 

Dia Mundial das Zonas Húmidas e Dia Mundial dos Vigilantes da Natureza




O Parque natural do Faial na Ilha do Faial realiza no dia 30 de janeiro uma ação de voluntariado para a plantação de espécies endémicas nos Charcos de Pedro Miguel.

Esta atividade é orientada pelos técnicos de Parque Natural,dando assim continuidade ao trabalho de conservação da natureza.

Toda a comunidade local poderá participar no plantio de vegetação endémica e a observar o desenvolvimento dos cedros-do-mato, nos Charcos podem ser observados vários grupos de aves.

Faça a sua inscrição junto do Parque Natural do faial, através do e-mail parque.natural.faial@azores.gov.pt ou pelo contato telefónico 292 207 382.


Fonte:http://issuu.com/parquesnaturaisacores/docs/parque_aberto_-_agenda_ambiental_20_f9003179ecc3f1

Gina Maciel

Pristine Azores

A pristine azores apresenta-se como um projecto de turismo natureza, com origem na ilha Terceira, que tem como principal objectivo partilhar o património natural e cultural açoriano de uma forma especial e única.
 Organizamos actividades diversas em magníficos cenários açorianos, nomeadamente percursos pedestres, tours fotográficos durante as horas mágicas do dia entre outras experiências inesquecíveis.
Atividades:
  • Trilhos Pedestres
  • Tours Fotográficos
  • À Volta da Ilha 4x4
  • Tours de SUP
  • Pacotes
  • Roteiros Temáticos 

© Pristine Azores


Para reservas ou esclarecimentos, por favor contactar: +351 963 289 993 ou


Fonte: Pristine Azores



Concurso de Maquetas de Edifícios Sismo-resistentes



Inscrições Abertas
É num contexto que procura estimular a aprendizagem, a aquisição e o reforço de conhecimentos dos perigos, vulnerabilidades e riscos associados a fenómenos sísmicos na Região Autónoma dos Açores, que é proposto o seguinte desafio à comunidade escolar:
 
A construção de uma maqueta de construção anti-sísmica que seja resistente a um cenário análogo ao do terramoto de 1 de novembro de 1755. De forma construtiva, pretende-se ilustrar o impacto de uma catástrofe de origem natural sobre um edifício, um quarteirão, um bairro, a freguesia, em suma, sobre a vivência da própria vila ou cidade.  
Podem concorrer estudantes de dois escalões distintos:

No 1º Escalão: equipas formadas por três alunos do Ensino Básico ou Secundário com idades compreendidas entre os 14 e os 18 anos , dos estabelecimentos de ensino público, privado ou escolas profissionais de toda a Região Autónoma dos Açores e um professor.
Este desafio é lançado a diversas áreas disciplinares, designadamente, Ciências Naturais, Biologia/ Geologia, Física- Química, Geografia, História, Desenho/ Educação Visual, Matemática, bem como ateliers e projetos que estejam a decorrer no próprio estabelecimento de ensino.

No 2º Escalão: equipas formadas por três alunos com idades compreendidas entre os 18 e os 22 anos, de estabelecimentos de ensino universitário de toda a Região Autónoma dos Açores, e um professor nas áreas de Arquitetura e Engenharia.
As inscrições decorrem até ao dia 18 de março 2016, mediante o preenchimento de uma ficha de inscrição que se encontra disponível no site do LREC em http://www.lrec.azores.gov.pt
Esta é uma iniciativa do Governo dos Açores, através do Laboratório Regional de Engenharia Civil.
Prevenir e preparar este tipo de desastre representa um permanente desafio para cientistas, engenheiros, arquitetos, historiadores, agentes de proteção civil, profissionais que trabalham em conjunto no esforço de proteção e de mitigação das consequências destes fenómenos naturais.

Para mais informações consulte o regulamento
Qualquer dúvida ou esclarecimento deverá ser efetuada por telefone, por email ou correio para:

Concurso - Construções Sismo-Resistentes
LREC – Laboratório Regional de Engenharia Civil
Rua de São Gonçalo s/n
9500-343 Ponta Delgada
Telefone: 296 301 500
Eventos.lrec@azores.gov.pt
entrega das maquetas será feita nas instalações do Laboratório Regional de Engenharia Civil, até às 17:00H do dia 8 de abril de 2016, com indicação do nome da escola, ano, turma e disciplina em que foi realizada.
A participação será limitada às primeiras trinta inscrições.


Cheirinho a Carnaval no ar...

E porque na ilha Terceira, não espaço para tristezas, ainda há pouco terminámos uma festividade e já outra se avizinha. 

Falo-vos do Carnaval...os grupos de teatro popular da Terceira já se estão a organizar e, em pouco tempo, irão apresentar-se ao público nos dias de Carnaval.




Curso de Guias de Parques Naturais - Faial e Pico


A Secretaria Regional da Agricultura e Ambiente vai promover a realização de mais edições, nas ilhas do Faial e Pico, do curso de Guias de Parques Naturais dos Açores, com o objetivo de valorizar o conhecimento das áreas protegidas e os serviços prestados pelos profissionais que conduzem grupos de turistas a essas zonas.
O curso, para o qual os interessados ainda se podem inscrever, vai certificar profissionais para acompanhar e guiar grupos de pessoas às áreas protegidas e para a interpretação ambiental e cultural do meio envolvente, dando seguimento aos esforços que têm sido desenvolvidos com vista à melhoria da qualidade de serviços dos Parques Naturais dos Açores.
Esta iniciativa, que resulta de uma parceria entre a Direção Regional do Ambiente e o Turismo dos Açores, com a colaboração da Câmara de Comércio e Indústria de Angra do Heroísmo, terá início a 1 de fevereiro, no Faial, e a 3 de fevereiro, no Pico, seguindo-se formações idênticas na generalidade dos Parques Naturais de Ilha.

O curso abrange vertentes como comunicação, técnicas de socorrismo e resgate, conhecimentos sobre património natural e histórico-cultural, noções de turismo e orientação no terreno.
Pretende-se ainda melhorar a qualificação dos recursos humanos das empresas de turismo ativo da Região, em prol do desenvolvimento de um turismo de natureza sustentável.
Estes cursos, com a duração de 117 horas, são homologados pela Direção Regional de Emprego e Qualificação Profissional e visam certificar profissionais para acompanhar e guiar grupos de pessoas nas áreas dos parques naturais, tendo como público-alvo todas as pessoas que pretendem exercer as atividades nas áreas protegidas.
Serão também ministrados cursos para guiar grupos à montanha do Pico e à Caldeira do Faial.
O curso da guia da caldeira do Faial começa a 10 de fevereiro e tem uma duração de 39 horas, enquanto o de Guia da Montanha do Pico terá início a 19 fevereiro e uma duração de 48 horas.

Caso o limite de vagas seja excedido, será feita uma seleção dando-se preferência a pessoas que exerçam atividades em empresas de animação turística ou que estejam a constituir empresa.
Estes cursos destinam-se igualmente a pessoas ligadas ao turismo em espaço rural que estejam interessados em proporcionar mais serviços aos seus clientes.
Os interessados podem obter mais informações sobre os cursos e inscrições, que podem ainda ser realizadas até ao final de terça-feira, 26 de janeiro, através do telefone 910 021 584 ou do endereço eletrónico anacarvalho@visitazores.com.



Fonte: Parques Naturais dos Açores;


Deltas Lávicos do Triângulo – Lajes do Pico





A ilha do Pico, pela sua jovialidade, na sua metade mais ocidental não tem arribas costeiras com alturas significativas, por isso, nesta área, as numerosas escoadas lávicas chegam ao mar e cobrem completamente a zona de costa antiga, não permitindo a formação de fajãs.
Todavia a parte oriental, com um núcleo mais antigo, já apresenta algumas arribas com grandes desníveis e várias fajãs. Entre estas, apesar da sua dimensão não ser muito grande, encontra-se o delta lávico onde se instalou a primeira vila e concelho da ilha: Lajes do Pico.
Este delta tem, na sua frente exposta ao mar, uma plataforma de abrasão marinha, que resulta da ação erosiva das ondas, que criou uma superfície aplanada a uma cota próxima da do nível do mar.
Devido à reduzida largura desta fajã, a sua pequena altitude e ao fato de não existir nenhuma ilha mais meridional que perturbe a ondulação vinda do alto mar em caso de grandes tempestades com ondulação proveniente do quadrante entre sul e sudoeste a vila das Lajes do Pico fica sujeita a galgamentos marítimos.
A vila das Lajes do Pico está limitada a norte por uma arriba fóssil, que embora não sendo muito alta, impediu a expansão do aglomerado populacional para o interior da ilha a partir desta faixa costeira.
Um pormenor da arriba fóssil, onde a vontade e a necessidade dos homens obrigou a escavar socalcos para aproveitar ao máximo todos os terrenos disponíveis, apesar das inclinações desfavoráveis.



http://geocrusoe.blogspot.pt

Ana Cabrita

Azorina Vidalii






A Vidália, de nome cientifico Azorina Vidalii, é um pequeno arbusto com flores em campânula, brancas e cor-de-rosa. O seu período de floração ocorre entre os meses de Abril a Setembro.
Cresce nas fendas das falésias costeiras bem como nas vertentes arenosas e abruptas, mas sempre habitats muito expostos aos ventos e maresia.
A Vidália é a unia espécie do único género endémico dos Açores e um dos elementos mais preciosos da sua flora. É uma espécie cuja protecção é prioritária. Pode ser encontrada em todas as ilhas do arquipélago.   


Classificação Cientifica:

Reino: Plantae
Divisão: Magnoliophyta
Classe: Magnoliopsida
Ordem: Asterales
Familia: Campanilaceae
Género: Azorina
Espécie: A. Vidalii






http://siaram.azores.gov.pt/flora/flora-vascular/vidalia/1.html


Carolina Simas

Naufrágio do Paquete Slavonia ( Ilha das Flores, 1909 )







Slavonia era um paquete luxuoso construído nos estaleiros de Sunderland na Inglaterra, em 1902 que fazia transporte de pessoas e mercadorias da Índia para a Europa.
Mais tarde começou a fazer o transporte de emigrantes da Europa para a América, foi numa dessas viagens, no dia 9 de Junho de 1909 transportava 225 tripulantes e 372 passageiros, 272 de segunda classe e 100 de primeira classe com destino a Trieste.
Foram os passageiros da primeira classe os responsáveis pela tragédia porque apercebendo-se que na rota o paquete ia passar a 160 Km a norte da Ilha do Corvo, alguns passageiros fizeram chegar ao Comandante Arthur Dunning um pedido escrito para que este aletrasse a rota de maneira a que pudessem observar as Ilhas do Corvo e Flores.
O Comandante então planeou rodear a Ilha das Flores pelo Sul a cerca de 6 milhas náuticas da Terra, mas como se abateu um forte nevoeiro sobre o navio e uma corrente marítima desviou-o da rota prevista e foi as 2,30 horas da madrugada, o Slavonia entrou a toda a força com a proa adentro pela Costa do Lajedo, junto ao Ilhéu da Baixa Rasa, a cerca de 1 Km da Ponta dos Fenais onde embateu no Ilhéu, ficando a popa imersa.





O fogo começou a arder nas fornalhas e ainda tiveram tempo de enviar um S.O.S. via radiotelegrafia.
O pedido de socorro foi captado pelo paquete germânico Prinzess Irene e pelo navio Batavia que imediatamente se dirigiram para o local do naufrágio. Todos os passageiros foram transportados até o navio Batavia que se encontrava próximo do porto das Lajes.
Do lado português, a imprensa da época recriminou a entidade governativa por o Farol das Lajes não estar concluido com máquinas e lanterna que poderiam ter evitado este naufrágio.


Fonte: Alexandre Monteiro, História dos Açores

Baile Sénior



  
A Câmara Municipal de Ponta Delgada, organiza o tradicional Baile Sénior no dia 29 de janeiro que terá inicio das 14:00h às18:00h. O baile conta cerca de 600 idosos de todas as freguesias do concelho, incluindo das Instituições Particulares de Solidariedade Social de Ponta Delgada.
Haverá muitas surpresas, prémios para as melhores fantasias e um concurso de chapéus. 

Fonte: http://www.jornaldiario.com/ver_noticia.php?id=53646

Gina Maciel

Açores na FITUR - Feira Internacional de Turismo de Madrid




Os Açores estão a participar na 36ª FITUR - Feira Internacional de Turismo de Madrid, que decorre deste quarta-feira e até domingo.
Trata-se de uma das mais importantes feiras de turismo mundiais e a terceira maior da Europa, com um total de 165 destinos participantes e mais de 220 mil visitantes, tanto profissionais do setor como público em geral.
Numa nota, o Turismo dos Açores refere que "esta uma ação fundamental para o aumento de notoriedade do Destino Açores no mercado espanhol e também para os empresários açorianos, associados da Associação Turismo dos Açores, criarem novos negócios e incrementarem os fluxos turísticos para os Açores".
Esta participação, adianta o Turismo dos Açores, "visa ainda reforçar a aposta nas novas operações entre Madrid e a ilha Terceira, procurando assim consolidar a vertente multifacetada da oferta turística regional junto do trade e consumidores espanhóis".

Fonte texto: Diário Insular
Fonte Imagem: http://www.ifema.es/fitur_01/

Grupo Folclórico da Casa do Povo de São João




O Grupo Folclórico da Casa do Povo de São João, actuou em público pela primeira vez a 07 de Agosto de 1993. Era seu Presidente António Fontes, sendo seu Fundador e ensaiador, Germano Bettencourt. 
            É composto actualmente por 38 elementos, 8 tocadores, 24 bailarinos e 6 vozes. os bailarinos são essencialmente jovens com idades compreendidas entre os 8 e 23 anos, sendo os tocadores e vozes são na sua maioria de idade mais adulta.
No Grupo usa-se a viola da terra e outros instrumentos de corda, ou sejam, bandolim, violino e violão.
            O Grupo já actuou em todas as Freguesias da Ilha do Pico e nas principais festas Concelhias. Participou em vários festivais, já actuou em sete das nove Ilhas dos Açores, faltando o Corvo e Santa Maria. Actuou na Ilha da Madeira, Continente Português e Espanha. 
            Em 1994 saiu pela primeira vez do Pico, indo à Ilha de São Jorge. Em 1995 foi à Ilha de São Miguel e Faial. Em 1996 participou nas Bodas de Prata da Casa do Povo de Vila Nova, Ilha Terceira, indo nesse mesmo ano ao Faial. Em 1997 voltou à Ilha de São Jorge. Em 1998 e 1999 foi á Ilha das Flores. Em 2000 deslocou-se ao Continente Português, mais propriamente á Cidade de Tavira (Algarve). Em 2001 foi a Espanha (Galiza), e recebeu o Grupo Folclórico de Tavira (Algarve). Em 2002 voltou ao Continente Português, a Santa Maria da Feira, e recebeu o Grupo de Danças e Cantares da Feira. Em 2003 visitou a Ilha da Madeira, e recebeu o Grupo Folclórico da Casa do Povo do Monte Funchal e o Grupo de Baile à Antiga de Posto Santo, Ilha Terceira. Em 2004 foi pela 3ª vez à Ilha de São Jorge. Em 2005 visitou novamente o Continente Português, à Cidade de Guimarães. Em 2006 recebeu o Grupo Folclórico de Polvoreira (Guimarães) e o Grupo Folclórico de Vilarinho do Bairro.
            No ano de 2007 lançou o seu 1º CD por ocasião do 24º Aniversário da Casa do Povo de São João.
            Em Julho de 2007 voltou de novo ao Continente Português para completar a permuta com o Grupo Folclórico de Vilarinho do Bairro. Ainda no mesmo ano aquando o seu 14º aniversário, recebeu os Grupos Folclóricos de Ballet Folklorico de la Universidade de Guanajuato – México e o Sputnik da Rússia.
            Em 2008 recebeu o Grupo Folclórico “MIXTURA” da Cidade de Bombinhas – Estado de Santa Catarina – Brasil e foi à Ilha Graciosa, onde participou nas festas de São Mateus da Praia.
            Em 2009 e por ocasião da Páscoa no mês de Março/Abril, foi em digressão à Cidade de Bombinhas, Estado de Santa Catarina - Brasil, a fim de completar a permuta com o Grupo Folclórico “Mixtura” dessa mesma Cidade. No mesmo Ano a 07 de Junho esteve presente na chegada do nosso conterrâneo Genuíno Madruga da sua 2ª volta ao Mundo em solitário. Ainda em Agosto de 2009, recebeu o Rancho Folclórico e Recreativo “ Clube Bonjardim”.
            Em Agosto deste Ano de 2010, pretende receber o Grupo Folclórico “Mixtura” de  Bombinhas Brasil e o Grupo Folclórico da Casa do Povo de Vilarinho do Bairro, Concelho de Anadia, por ocasião do seu 17º aniversário, de 12 a 17 de Agosto de 2010, tenciona ir novamente ao Continente Português, para completar o intercâmbio com o Grupo Folclórico e Recreativo “Clube Monjardim” do Distrito de Castelo Branco.
            O Grupo executa um vasto e variado repertório, sendo que alguns bailes são também comuns a outros Grupos da Ilha do Pico, sendo nomeadamente o Pezinho e a Chamarrita do Pico. 
            Na sua indumentária, usa algumas peças típicas da Freguesia de São João, designadamente Alparcas em sola, meias de lã de ovelha e chapéu de palha. O traje dos bailarinos e tocadores é uma referência alusiva ao  Pastor  de São João, usando também o traje Domingueiro.
            Este Grupo graças à boa vontade dos seus componentes e empenho de quem o dirige, ganhou algum prestígio, dando assim nome à sua terra, representando a sua Freguesia e Concelho, na Ilha e fora dela.
            O Grupo tem como objectivo principal, dignificar, mostrar e representar os hábitos e costumes, através da cultura dos seus antepassados, promovendo Intercâmbios a título de permuta com outros Grupos, mantendo sempre viva a tradição, preservando de alguma forma a cultura de um povo, é salutar e estimulante para os seus componentes.


 Fonte: http://www.adiaspora.com
Ana Cabrita


Pico da Bagacina

                Trata-se de um acidente montanhoso localizado no interior da ilha Terceira, elevando-se a 638 metros de altitude acima do nível do mar, estando relacionado com o Maciço Montanhoso da Serra de Santa Bárbara.
                É formado por lavas relativamente recentes que se estenderam por vários pontos da ilha. Constitui uma das principais zonas de criação de gado bravo, corrido nas famosas touradas à corda.

                O Pico da Bagacina teve origem num cone adjacente ao vulcão de Santa Bárbara, tendo escorrimento de águas pluviais para o interior da ilha. A sua formação geológica deve-se a irrompimentos lávicos e a escórias vulcânicas.

© minervaemaggie.blogspot.pt

Açores são candidatos ao prémio de Melhor Destino Europeu 2016



A “European Best Destination 2016” é uma das mais conceituadas distinções turísticas internacionais, da responsabilidade da organização europeia homónima, sediada em Bruxelas.
A candidatura apresentada pelo Governo dos Açores, através da Associação Turismo dos Açores, ao prémio de Melhor Destino Europeu de 2016 foi aceite pela entidade organizadora deste galardão, sendo o único destino português na edição de 2016.
Este prémio foi criado em 2009 com o objetivo de promover a cultura e o turismo na Europa enquanto destino número um no mundo e, desde essa altura, a organização European Best Destinations, em parceria com as regiões turísticas participantes e a Rede EDEN, tem procurado promover um melhor entendimento da riqueza, diversidade e qualidade dos destinos europeus, sendo atualmente o principal portal de descoberta da Europa, abrangendo mais de 355 destinos, mais de 2,5 milhões de visitantes, milhares de seguidores nas suas redes sociais e uma cobertura mediática cujo valor ascende a cerca de 26 milhões de euros.
A votação para atribuição deste prémio é aberta ao público em geral e decorre online, no endereço eletrónico www.vote.ebdest.in, até 10 de fevereiro.
O destino mais votado será eleito o 'European Best Destination 2016', beneficiando da elevada exposição mediática associada a esta distinção.


Fonte: http://www.radiograciosa.com/

Cantar às Estrelas na Ribeira Grande

A 23ª Edição desta tradição já antiga do Cantar às Estrelas, na Ribeira Grande, realizar-se-á no próximo dia 1 de Fevereiro (segunda-feira), a partir das 19h00, passando nas principais vias da cidade e finalizando na Igreja Matriz.
As inscrições estão abertas a todos os grupos que tencionem participar e podem ser concretizadas pelo e-mail: cultura@cm-ribeiragrande.pt e através dos telefones 296470730 ou 296 470770 até ao dia 22 de janeiro.
No procedimento de inscrição deve constar o nome do grupo, a letra da música a interpretar, o nome do autor da letra/música, o número de elementos e a origem do grupo, sendo que podem participar de qualquer concelho da ilha de São Miguel ou de outras zonas.
O Cantar às Estrelas é uma manifestação cultural que junta dezenas de grupos das freguesias da Ribeira Grande e também de outros concelhos, em especial da Lagoa e Vila Franca do Campo, superando normalmente um milhar de participantes repartidos por cerca de três dezenas de grupos.
O desfile do Cantar às Estrelas envolve crianças, jovens e adultos de instituições diversas, apresentando uma transversalidade que vai desde as instituições particulares de solidariedade social às associações recreativas e desportivas, passando pelas escolas e por grupos da própria Câmara Municipal de Ribeira Grande.





 
 
 
 
 
Fonte: http://www.acorianooriental.pt/noticia/cantar-as-estrelas-na-ribeira-grande
 

História e Herança por José Aguiar



Inserido no programa do ciclo de conferências "Plano de Gestão", estão a decorrer as conferências com o tema "História e Gestão". 
Amanhã dia 21 de Janeiro, pelas 20h00 no Auditório do CCCAH, a palestra será dirigida pelo arquitecto José Aguiar e irá abordar a Zona Central da Cidade de Angra do Heroísmo.

Tartaruga-boba/ Loggerhead seaturtle/ Caretta caretta





A Tartaruga-boba, de nome cientifico Caretta caretta, é a tartaruga mais comum nas águas açorianas.

A Tartaruga-boba apresenta uma carapaça coberta por placas bem diferenciadas, com cinco pares de placas laterais na região dorsal. A região dorsal da carapaça é acastanhada, a região ventral é amarelada e as barbatanas são curtas e grossas com duas unhas visíveis na margem anterior.

Os juvenis apresentam quilhas alongadas.

Alimentam-se principalmente de medusas na fase juvenil, mas na fase adulta prefere moluscos e pequenos crustáceos.

Passam a maior parte do tempo à superfície. Durante a fase juvenil oceânica podem mergulhar até aos 200 metros de profundidade e alimentam-se preferencialmente de medusas. Na fase adulta vivem em águas costeiras de pouca profundidade alimentando-se de crustáceos e moluscos junto ao fundo.

Este Réptil marinho que apresenta um complexo ciclo de vida, pode fazer migrações de milhares de quilómetros durante a fase juvenil. Espécie ameaçada da extinção devido a ameaças antropogénicas, nomeadamente a pesca e a poluição dos oceanos.


Podem atingir 130 cm de comprimento da carapaça. Na fase juvenil oceânica o comprimento máximo aproximado é de 70 cm.

Tem uma distribuição ampla ocorrendo em todos os mares quentes ou temperados. Os juvenis presentes nos Açores são na sua grande maioria oriundos de praias reprodutoras americanas. Estes animais circulam no sistema de correntes do Atlântico Norte até à maturidade, altura em regressam ao habitat nerítico da costa americana.






http://limiano.tumblr.com/


Carolina Simas

Exposição " Caminhos do Chá"




Está patente até dia três de abril de 2016 no Núcleo de Arte Sacra, na Igreja do Colegio,em Ponta Delgada na ilha de São Miguel,uma exposição intitulada "Caminhos do Chá".

O chá foi introduzido no século XIX pela Sociedade Promotora de Agricultura Micaelense na ilha de São Miguel,existe actualmente um dos únicos locais da Europa onde se produz o chá, especificamente o Chá Porto Formoso e as Plantações do Chá Gorreana.

Fonte: http://www.jornaldiario.com/ver_noticia.php?id=53182&d=1

Gina Maciel

Sopa Azeda



Esta é uma sopa tradicional dos Açores e mais especificamente da ilha Terceira apesar de haver quem diga que a receita original nasceu no Faial. Tem um nome pouco atractivo, mas garanto que é uma das melhores sopas que jamais comi. O equilíbrio entre os sabores doces, salgados e azedos fica perfeito. E as especiarias conferem-lhe um paladar requintado e muito especial...

Ingredientes para 4 pessoas

- 250 g de feijão seco (vermelho ou manteiga)
- 1 cebola picada
- 2 dentes de alho picados
- 1 colher (sopa) de azeite
- 250 g de abóbora cortada em cubos pequenos
- 1 batata doce cortada em cubos pequenos
- 1 batata cortada em cubos pequenos
- 1/2 colher (chá) de canela moída
- 1/2 colher (sopa) de açúcar
- 1 colher (sopa) de vinagre
- 1 pitada de cominhos moídos
- sal

Preparação

Demolhar o feijão de um dia para o outro em bastante água fria. Escorrer.

Aquecer o azeite. Refogar a cebola e os alhos picados até alourarem ligeiramente. Juntar o feijão e água suficiente para a cozedura deste. Deixar cozer até o feijão ficar tenro.

Retirar o tacho do lume e triturar a sopa até ficar em creme. Se o creme se apresentar muito espesso, acrescentar um pouco de água.

Colocar novamente o tacho ao lume. Temperar com a canela, o açúcar, o vinagre, sal e os cominhos. Envolver e levar a ferver.

Adicionar os cubos de batata, batata doce e abóbora. Deixar fervilhar até os vegetais se apresentarem cozidos. Rectificar os temperos e servir de seguida.

Fonte: Receita adaptada do livro Cozinha Açoriana, de Zita Lima (Ed. Everest)


http://elvirabistrot.blogspot.pt/2009/03/sopa-azeda.html




A Lenda da Igreja dos Cedros - Ilha das Flores








Não costumava haver areia no Calhau da Alagoa, na encosta da freguesia dos Cedros. Só na Furna da Pindoga é que se conseguia rapar pequenas quantidades que eram trazidas em sacos de arrasto vistoo a furna ser muito comprida e baixa. Era uma miséria não dava para nada.
Quando por volta de 1950, o povo e o padre queriam construir a sua igreja, a falta desse material era uma dificuldade muito grande. Não havia na Ilha das Flores onde ir buscar a areia e só se viesse do Corvo em embarcações, o que ia tornar a obra muito mais cara.
Mas mesmo assim o povo não desanimou e em 1950 foi lançada a primeira pedra e começaram as obras.
Um dia alguém do lugar foi à costa e viu que o Calhau da Alagoa tinha areia aos montões, coisa que não havia memória de ter acontecido. Percorreu o mais depressa que pôde os quase 5 quilómetros de caminho, a subir e veio dar a boa notícia. Todas as pessoas das redondezas ficaram pasmadas com o sucedido. E entre louvores ao Senhor que tal milagre tinha feito, as obras prosseguiram com entusiasmo. Alguns homens juntavam a areia aos montes, outros enchiam-na em sacos e era acartada para cima em burros, cavalos e carros de bois. Lavradores de outras freguesias das Flores deslocavam-se aos Cedros com os seus animais para ajudarem.
As obras avançaram com muito trabalho e dedicação de todos e como não havia dinheiro, os moradores da freguesia como eram lavradores davam o leite de um dia do mês para a igreja. Passados só 4 anos a nova e pitoresca igreja estava pronta.
Todos pensavam que a partir dali nunca mais faltaria areia para as construções mas para admiração de todos, acabada a igreja a areia foi rareando até que praticamente desapareceu do local e nunca mais apareceu em abundância no Calhau da Alagoa.

Fonte: Furtado Brum do Livro "Açores, Lendas e outras histórias


8º Rali Ilha Graciosa



O 8º Rali Ilha Graciosa Além Mar vai para a estrada nos dias 22 e 23 de Julho de 2016. 
A programação para este ano do Terceira Automóvel Clube incluiu a prova graciosense num novo troféu que deverá designar-se TROFÉU de ASFALTO dos AÇORES. 
Além do Rali Ilha Graciosa, o troféu, cujo regulamento está em elaboração, incluirá também os ralis Sical, Sprint das Sanjoaninas, Rali de Santa Maria, Ilha Lilás e Rali do Pico. 
Do calendário de ralis a realizar nos Açores em 2016 fazem parte 16 provas, sendo o 51º Sata Rallye Açores disputado de 2 a 6 de Junho.



Fonte: http://www.rtp.pt/acores/graciosa-online/8-rali-da-graciosa-confirmado-_49106