Carnaval no Pico







O Carnaval nos Açores é umas das épocas festivas mais importantes, caracterizando-se por uma mistura de tradições e influencias que vão desde o entrudo, a bailes, danças, marchas, bailinhos e batalhas de água.
No Pico temos os típicos bandos (teatros populares) que satirizam as populações da ponta da ilha. Pelas restantes ilhas vamos encontrar alegres bailes e matinés repletos de mascarados (pessoas com fantasias e trajes de carnaval) que vão celebrar o Carnaval, dançando noite dentro acompanhados de boa música carnavalesca. E ainda os desfiles das escolas que trazem a pequenada toda às ruas das vilas e cidades, exibindo os seus disfarces.

Na terça-feira pela manhã a tradição é entrudar – ir para a rua e atirar água, farinha e até ovos aos que se queiram juntar à brincadeira. Não havendo idade ou intempérie de fevereiro que impeça a brincadeira, pois, afinal: é Carnaval, ninguém leva a mal!

Quanto a iguarias, o Carnaval não peca por falta delas e já há dias que nas casas açorianas se sente o cheiro a filhoses, malassadas, coscorões ou ainda filhoses de forno ou fofas. As primeiras: uma massa doce que depois de lêveda é frita e polvilhada com açúcar e as últimas uma massa que vai ao forno e ao sair é recheada com um cremoso e aromático creme de limão. Mas todos estes excessos são permitidos, pois não fosse o Carnaval tradicionalmente aceite como o período de deleite que antecederia um tempo de contenção e sacrifício. E isto afirmado pela própria origem latina do vocábulo: carnelevamen “adeus, carne”, ou “prazer da carne”, que nos remete às abstinências e prescrições que marcam a Quaresma.










Fonte: http://www.marialanguages.com

 Ana Cabrita

Sem comentários:

Publicar um comentário