Relações entre os Açores e Santa Catarina, no Brasil, têm "grande vitalidade", afirma Rodrigo Oliveira







O Subsecretário Regional da Presidência para as Relações Externas afirmou, em Ponta Delgada, que as relações entre os Açores e Santa Catarina, no Brasil, estando alicerçadas na emigração açoriana de meados do século XVIII, têm atualmente "uma presença de grande vitalidade e, certamente, um futuro que está a ser construído e garantido na sua afetividade, mas também nos interesses que nos unem”.

“Os jovens são uma prioridade nossa, para que compreendam a histórica migração e o contributo açoriano no sul do Brasil e, por isso, posso anunciar que, entre outras iniciativas para este ano, o prémio para a equipa vencedora do concurso 'Açores: Mar de Culturas' será uma viagem ao sul do Brasil e a Santa Catarina”, revelou Rodrigo Oliveira.

O Subsecretário Regional, que falava terça-feira, em representação do Presidente do Governo, na palestra sobre 'A relação histórica entre os Açores e o sul do Brasil', destacou na sua intervenção algumas iniciativas do Governo nesta legislatura, entre as quais a formação ministrada em 2014, durante um mês, por rendeiras de Santa Catarina a cerca de três dezenas de formandas da Região.

“Esta iniciativa fechou um ciclo na história, no regresso aos Açores de uma arte levada pelos colonos destas ilhas no século XVIII”, frisou Rodrigo Oliveira, apontando também a abertura, em 2015, da Loja Açores no Mercado Municipal de Florianópolis, numa “parceria entre a Prefeitura de Florianópolis, que cedeu o espaço, a Casa dos Açores de Santa Catarina, que o explora, e o Governo dos Açores, que apoiou as obras no seu interior, criando-se assim um espaço onde se mostra os Açores de hoje aos milhares de visitantes deste espaço”.

Rodrigo Oliveira saudou o Instituto Histórico e Geográfico de Santa Catarina, na pessoa do seu presidente, pelo "papel determinante" que esta instituição teve para "o resgate das raízes e do contributo determinante dos Açorianos para a cultura e vivência do sul do Brasil", nomeadamente a partir de 1948 com a realização do 1.º Congresso de História Catarinense e do bicentenário da chegada dos Açorianos a esta região do sul do Brasil, felicitando também a instituição pela Insígnia Autonómica de Mérito Cívico com que foi distinguida no Dia da Região.

Na pessoa do palestrante e vice-presidente do Instituto Histórico e Geográfico de Santa Catarina, Nereu do Vale Pereira, Rodrigo Oliveira prestou uma homenagem a todos os investigadores e historiadores que, nos dois lados do Atlântico, conseguiram resgatar esta herança, através de inúmeras pesquisas académicas, "contribuindo para a divulgação da expressiva presença açoriana em inúmeros municípios do Estado de Santa Catarina", bem como para a "divulgação das manifestações legadas pelos pioneiros açorianos e a forma impressionante com que, passados mais de dois séculos e meio, continua vibrante, dinâmica e enraizada na forma de ser e estar do povo catarinense ”.
O Subsecretário Regional relembrou ainda, no contexto das celebrações que decorrem este ano, a importância da Universidade dos Açores no estabelecimento,
na primeira metade da década de oitenta, das primeiras pontes entre a Região e as instituições culturais e de investigação do sul do Brasil, como o Instituto Histórico e Geográfico de Santa Catarina e a Universidade Federal de Santa Catarina.

Na sua intervenção, salientou também que a Autonomia e os órgãos de governo da Região tiveram um papel fundamental, desde logo pela competência que lhes foi atribuída no âmbito do relacionamento com a Diáspora e, em especial, a partir da criação da Direção Regional das Comunidades, em 1998.

“É a Autonomia que tem permitido à Região aprofundar estes laços, desde logo através das parcerias com a Casa dos Açores de Santa Catarina, fundada com o incentivo e apoio do Governo dos Açores, e o Núcleo de Estudos Açorianos da Universidade Federal de Santa Catarina, apoiando a investigação e o resgate da herança açoriana em dezenas de municípios catarinenses, ou ainda com o envio de livros sobre diversas temáticas de inspiração açoriana a várias instituições, como o Instituto Histórico e Geográfico de Santa Catarina”.


Ana Cabrita

Sem comentários:

Publicar um comentário