Apicultor da Fajã Grande - Ilha das Flores








No dia 26 de Fevereiro de 2017 entrevistei o Sr. José Cardoso de Sousa, mais conhecido como Zé Grande, o apicultor da Fajã Grande.
O Sr. José emigrou para os Estados Unidos com a família nos anos 60 e voltou nos anos 80, casou e já desde essa altura começou aos poucos juntando colmeias, criando exames e tirando mel para consumo próprio.
Hoje em dia com 71 anos, depois de alguns sobressaltos no passado o Sr. José continua com as suas colmeias mais como um passatempo pois tem invernos que as abelhas sofrem muito e não tem mel para ser tirado.
Agora o Sr. José tem em torno de 15 colmeias e recentemente retirou mel mais para consumo próprio. Segundo o próprio por vezes fica difícil para as abelhas encontrarem pólen, devido ao mau tempo e por haver menos plantações como antigamente, é preciso em casa fazer uma receita especial para as abelhas para assim haver mel.




A extracção do mel é feita no fim do Verão todos os anos, para isso o Sr. José, com o auxílio do fumigador aplica a fumaça para acalmar as abelhas e retira o quadro de melgueira. Em seguida, é necessário segurar o quadro com as duas mãos e balançar levemente abaixo e imediatamente para que as abelhas que ficam no quadro sejam devolvidas ao enxame, As abelhas que ainda ficam no quadro são afastados com espanador.

Primeiro são cortados os alvéolos da melgueira para depois serem colocados na centrífuga. A extracção é feita por centrifugação em um equipamento chamado centrífuga e em seguida gira-se para extrair o mel. O mel centrifugado passa por filtragem, em uma peneira, e é colocado em um tanque decantador onde as partículas estranhas serão separadas do produto por decantação. É necessário ter cuidado com a velocidade da centrifugação, que pode provocar a soltura da cera do quadro. Após a extracção do mel, recoloca o quadro de melgueira na colmeia.


Fonte: Ao próprio, o Sr. José de Sousa








Sem comentários:

Enviar um comentário