Concerto de violoncelo no ponto mais alto de Portugal

Diário Insular

Se o tempo o permitir, em janeiro, a cratera do Pico será palco de um espetáculo de violoncelo. Guilherme Rodrigues, violoncelista natural de Lisboa, quer aventurar-se a subir a montanha para atuar no ponto mais alto de Portugal e já há inscrições para assistir ao concerto.
A ideia partiu do próprio músico, quando participou este ano no festival Fringe, na ilha do Pico. O concerto integra a programação do Montanha Pico Festival, também organizado pela MiratecArts, que decorre durante todo o mês de janeiro. Guilherme Rodrigues deverá atuar no dia 23.
"Já tenho o modelo da composição. A conclusão da peça vai depender do meu estado de espírito nesse dia e de como vai estar o tempo", salientou.
Natural de Lisboa, o músico tem uma forte ligação à ilha do Pico, incutida pelo pai. "O meu pai há cerca de 20 anos fez uma tournée nos Açores e apaixonou-se. No ano seguinte, trouxe-me a mim e à minha mãe e nós também nos apaixonámos", contou. Desde esse ano que passa os verões na ilha montanha.
O Pico já não é, por isso, uma novidade. Já subiu a montanha três vezes, nenhuma com um violoncelo às costas.
Guilherme Rodrigues toca violoncelo desde os sete anos de idade. Teve formação clássica no conservatório e já gravou vários discos. Atua em Portugal e pela Europa e é no estrangeiro que pensa seguir carreira.
O concerto na cratera do Pico terá uma assistência máxima de 60 pessoas e já houve quem se tivesse inscrito, segundo Cláudia Melo, proprietária da empresa de animação turística Épico, que está a organizar as subidas à montanha nesse dia.
A subida com guia é gratuita, mas as inscrições são limitadas. Até à data, o público interessado em assistir ao concerto tem-se mostrado muito variado. Há gente de várias idades, uns que já subiram o Pico, outros que o pretendem fazer pela primeira vez. São sobretudo pessoas que vivem na ilha, embora alguns não sejam naturais do Pico.
O encontro está marcado para a Casa da Montanha e é lá que o concerto se fará se o tempo não permitir a subida. Quem se inscrever receberá também um email com recomendações sobre o vestuário e o material necessário para a subida.

Fonte: Diário Insular

Sem comentários:

Publicar um comentário