Lenda do Monte das Cruzes Ilha das Flores









No início do povoamento da Ilha, o monte em cima da Vila de Santa Cruz estava pejado de silvas, algumas já com troncos como punhosde tantos anos bravios. Não havia ninguém que se aventurasse a penetrar ali, tal a braveza da monda. Assim, inculto e agreste permaneceu muitos anos.
Nesse tempo remoto já os Frades Franciscanos viviam no Convento de São Boaventura, com igreja anexa, onde hoje está instalado o Museu das Flores. Levavam uma vida miserável, jejuando e rezando. Um dia vendo muita gente passando fome por falta de terrenos cultiváveis, lembraram-se de serem eles próprios a desbravar aquele monte bravio a fim de criar terras lavvadias da sua encosta para cultivo do trigo. Do amahecer ao anoitecer, com foices roçadoiras e enxadas  trabalhavam sem parar, exaustos e extunuados um dia ainda reuniram forças para cortar dois ramos de tala amarraram em cruz e erguiam no lugar onde tinham terminado a tarefa. Era o símbolo do seu sacrifício.
Ao fim de sete anos estava toda a encosta desbravada e com cruzes de todos os dias que tinham trabalhado.Passou então o povo a chamar-lhe o Monte das Cruzes que durante muitos anos foi o local de cultivo de trigo. O Museu ainda guarda as velhas foices muito puídas de tal árduo trabalho.
O símbolo da cruz ainda hoje se mantém na heráldica da Vila de Santa Cruz das Flores, testemunhando no brasão da Câmara Municipal, o sacrifício daqueles frades laboriosos.

Fonte: online.blogs.sapo.pt

Sem comentários:

Publicar um comentário