A batalha da Ilha das Flores






A mais ocidental e isolada ilha açoriana foi palco de uma celebérrima batalha que ficou conhecida na história dos Açores como a Batalha da Ilha das Flores

No prélio que ocorreu no dia 9 de Setembro de 1591, a norte de Ponta Delgada, foram intervenientes entre 16 a 22 navios ingleses comandados por lord Tomas Howard e um bem mais poderosa armada espanhola, comandada por Dom Alonso de Bazán, de vigia nos Açores para defender os navios mercantes da carreira da Índia. Pelos vistos houve um erro do comandante inglês que se lançou, precipitadamente, contra os barcos que surgiam de oeste, julgando pertencerem à armada espanhola provinda da Nova Espanha, carregada de mercadorias. Porém, em vez de encontrarem navios mercantes, mal armados, os ingleses depararam-se com uma poderosíssima frota de defesa das ilhas açorianas, constituída por 40 navios de guerra que lhes vinham dar caça. Consideravelmente mais pequena e sobretudo mais frágil, a armada inglesa, duramente fustigada pelo fogo inimigo, foi então obrigada a fugir como pôde. Os ingleses, ao aperceberem-se do erro rumaram a Ponta Delgada procurando posição estratégica. Os espanhóis, no entanto, terão sido mais astutos e rumando a oeste, contornaram a ilha e entraram em Ponta Delgada como se viessem do ocidente, de onde os ingleses não os esperavam, simulando serem uma armada mercante. Os ingleses caíram no logro e precipitaram-se sobre os espanhóis. Foi o descalabro total da armada inglesa. A exceção foi o Revenge, de sir Richard Greenville, que, tendo-se demorado em zarpar de Santa Cruz, não acompanhou as restantes embarcações, acabando porém por ser capturado pelos espanhóis, algum tempo depois. Verdadeiramente épico, esse combate, que custou a vida a sir Richard Greenville.

Fonte: Pico da Vigia 2

Sem comentários:

Publicar um comentário