1º de Maio - Dia do Trabalhador e os Maios - Tradição dos Açores






No dia 1º de Maio de 1886, 500 mil trabalhadores saíram às ruas de Chicago, nos Estados Unidos, em manifestação pacífica, exigindo a redução da jornada para oito horas de trabalho. A polícia reprimiu a manifestação, dispersando a concentração, depois de ferir e matar dezenas de operários
Mas os trabalhadores não se deixaram abater, todos achavam que eram demais as horas diárias de trabalho, por isso, no dia 5 de Maio de 1886, quatro dias depois da reivindicação de Chicago, os operários voltaram às ruas e foram novamente reprimidos: 8 líderes presos, 4 trabalhadores executados e 3 condenados a prisão perpétua. 
Foi este o resultado desta segunda manifestação.

A luta não parou e a solidariedade internacional pressionou o governo americano a anular o falso julgamento e a elaborar novo júri, em 1888. Os membros que constituíam o júri reconheceram a inocência dos trabalhadores, culparam o Estado americano e ordenaram que soltassem os 3 presos.
Em 1889 o Congresso Operário Internacional, reunido em Paris, decretou o 1º de Maio, como o Dia Internacional dos Trabalhadores, um dia de luto e de luta. E, em 1890, os trabalhadores americanos conquistaram a jornada de trabalho de oito horas.


Em Maio existem por toda a Europa tradições  em que se festeja a chegada da primavera e o ressurgir da natureza. As  origens destas tradições  remontam às festas pagãs da Roma antiga consagradas  à deusa Maia da mitologia romana, deusa  da primavera. 

Muitos destes ritos pagãos mantiveram-se ao longo dos tempos dando origem a  tradições associadas à chegada da primavera, estação que marca o fim do inverno e o despertar da natureza para uma nova  vida.

Em Portugal as manifestações mais comuns de boas vindas  à Primavera  são a tradições das maias e dos  maios.  Em algumas regiões estas tradições estão também associadas  à crença de que a presença dos  maios era uma forma de agradar os espíritos.

Embora um pouco esquecida, a velha tradição dos  maios  continua a celebrar-se  no 1º de Maio um pouco pelas freguesias de algumas das ilhas dos Açores: São Miguel, São Jorge, Graciosa, Terceira e Santa Maria.

Os maios são  bonecos artesanais  representando pessoas  em tamanho natural realizando actividades do dia a dia. Os maios são colocados à porta de casa, à janela, ao balcão e em  outros espaços exteriores, muitas vezes acompanhados de versos com diversas críticas ou sátiras sociais.




Fonte:http://expressoemprego.pt/ | http://joaodaflora.blogspot.pt/




Sem comentários:

Publicar um comentário